Início > Notícias e política > Anemia Falciforme

Anemia Falciforme

 

 

           Alagoas tem 1ª Caminhada “O amor está no sangue”

 

 

Associação dos Falcêmicos de Alagoas realiza campanha de divulgação sobre a Doença Falciforme na orla de Maceió

 

 

Por: Helciane Angélica

(Jornalista – 1102 MTE/AL)

 

 

O dia 27 de outubro – Dia Nacional de Luta dos portadores de anemia falciforme – é uma data de grande importância no cenário nacional. A Associação dos Falcêmicos de Alagoas (AFAL) idealizou a 1ª Caminhada “O amor está no sangue” como parte integrante da mobilização, que será realizada amanhã (27.10), com concentração às 8h30 próximo à Pizzaria Vitória na Jatiúca.

Na caminhada estarão participando os portadores da doença falciforme (anemia falciforme); familiares e amigos dos pacientes; profissionais da saúde; lideranças de movimentos sociais e sociedade em geral. Em seguida, será realizada uma campanha sócio-educativa sobre a doença e distribuição de folhetos.

Segundo Vera Falcão, Presidente da AFAL, “é preciso sensibilizar a população e dar visibilidade na mídia sobre a doença falciforme, garantir o diagnóstico correto e melhores condições de tratamentos”. Para a execução desta caminhada, a Associação conta com o apoio do Ministério da Saúde, Vereadora Teresa Nelma, Coca Cola, Itagy e da ONG Anajô.

A AFAL foi fundada no dia 27 de setembro de 1999, é filiada à Federação Nacional das Associações das Pessoas com Doença Falciforme (FENAFAL), tem como missão: dar assistência aos portadores de anemia falciforme e lutar por seus direitos.

 

Anemia Falciforme

A anemia falciforme é o nome dado a uma doença hereditária, que provoca a deformação das hemácias (glóbulos vermelhos), desencadeando o formato semelhante a uma meia lua ou foice (de onde vem o nome da doença). Os glóbulos vermelhos são células ricas em hemoglobina, molécula que dá a cor vermelha ao sangue e tem a função vital de transportar o oxigênio dos pulmões aos tecidos, com o formato mutante tem dificuldade de se locomover nos vasos sanguíneos e possui vida útil limitada.

A doença originou-se na África e foi trazida as Américas pela imigração forçada dos negros escravizados, hoje é encontrada na Europa, Oriente Médio e regiões da Índia. No Brasil, cerca de 1 (um) em cada 8 (oito) afro-brasileiros tem o que é chamado de traço falcêmico (a hemoglobina é do tipo que predispõe à doença, mas não se manifesta).

Dentre os principais sintomas encontram-se: anemia comum (déficit de hemácias), fadiga, fraqueza, palidez, dificuldade de concentração e vertigens. Nos casos mais graves, pode causar também hemorragia, descolamento retiniano, priapismo, acidente vascular cerebral, enfarte, calcificações em ossos com dores agudas, insuficiência renal e pulmonar, dependendo da fase da vida. Em crianças, pode haver inchaço nas mãos e nos pés, causado pela obstrução de vasos naquelas áreas; são muitos magras e possuem problemas de crescimento; crises de dores e aumento drástico no número de infecções.

A doença não é contagiosa e não possui cura, porém existem vários tratamentos adequados inclusive para as formas mais graves. Para ser detectada basta apenas fazer um exame eletroforese de hemoglobina ou exame de DNA, e até mesmo no teste do pezinho. O desconhecimento da doença falciforme agrava a situação, provocando o diagnóstico errado e tardio, sendo uma  das causas da mortalidade precoce ou do agravamento das condições de saúde.

 

Mais informações: Vera Falcão = (82) 8829-2139 / 3342-2424

  1. thallita
    5 de novembro de 2010 às 13:26

    Gostaria de saber se é possivel uma criança fazer o teste do pezinho e nele dar negativo para Anemia Falciforme e depois de 1 ano e 6 meses um diagnostico médico dizer q a criança tem a doença. Sendo a A.F hereditária não seria contráditório ela surgir em uma criança, cujos pais nao possuem a doença?? Estou vivendo esse Drama, e enquanto espero um segundo email confirmar a situação estou torcendo para que seja um erro pois nunca ouvi falar de alguém que adquiriu anemia falciforme,sem causa genérica.
    Obrigada

    • 10 de novembro de 2010 às 10:00

      Querida!
      Nós nos somos especialistas nesta área, mas acreditamos que seja possível isso acontecer. Assim como, tem muitos profissionais que não sabem que pelo teste do pezinho é possível saber se tem a doença, também, existem aqueles que emitem o diagnostico preciso. Tem muitas crianças que crescem e convivem com a doença, sem saber que tem.
      Também é muito comum ter pessoas que tem a anemia falciforme, mas não desenvolve a doença, ou seja, tem o traço falcêmico nas hemácias e não apresenta os sintomas. Então, pode ter alguém na família com essa característica. É claro que, se um dos pais tem a anemia falciforme a probabiliade é maior.
      Olha, sugerimos que você procure a Associação de Anemia Falciforme no seu Estado, conversar com pessoas que possuem a doença e tirar suas dúvidas de forma mais precisa. Também pode entrar em contato com a Federação Nacional das Associações de Doença Falciforme (FENAFAL): coordenacaogeral.fenafal@gmail.com / comunicacao.fenafal@gmail.com.
      Abraço
      ANAJÔ

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: