Arquivo

Archive for novembro \29\America/Maceio 2007

Especial: Mês da Consciência Negra

29 de novembro de 2007 Deixe um comentário
 

Seminário realiza diálogo inter-religioso em Maceió

 

Acadêmicos, religiosos e lideranças de movimentos sociais participam do I Seminário sobre Teologia, Ciência e Diálogo Inter-Religioso nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro

 

 

 

Por: Helciane Angélica

(Jornalista – 1102 MTE/AL)

 

 

Para finalizar as atividades que celebram e promovem a reflexão sobre o 20 de novembro – Dia Nacional da Consciência Negra, será realizado nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, o I Seminário sobre Teologia, Ciência e Diálogo Inter Religioso no auditório do Centro de Ensino Superior de Maceió (CESMAC). O evento é promovido pela Faculdade de Teologia do Cesmac em parceira com a Arquidiocese de Maceió, Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro, Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) da Universidade Federal de Alagoas, e da Sociedade de Teologia e Ciências da Religião (SOTER) – Regional Nordeste.

O Seminário pretende reunir cerca de 200 participantes, dentre os acadêmicos das quatro turmas de Teologia e de outras áreas; religiosos; lideranças do movimento negro e representantes da sociedade civil para refletirem sobre os eixos centrais: fé, religião e cultura.

De acordo Benedito Jorge, integrante da Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro, o seminário surgiu do interesse em desenvolver um diálogo contínuo entre as religiões para fortalecer a quebra de preconceitos. “Esse ‘filho’ (seminário) nasceu do coração de Deus. Eu já nutria o interesse de termos um diálogo inter-religioso e coincidentemente o Pe. Manoel Henrique também. Com a intermediação do professor universitário José Nascimento, juntamos a necessidade religiosa e a social para discutir sobre esse tema de vital importância”, afirmou.  

As atividades terão início nesta sexta-feira (30.11) às 19h com a apresentação artística de grupos afro-brasileiros. Prosseguindo a programação, será exibido o documentário “1912: O Quebra do Xangô”  (lançado em agosto deste ano) e execução de um debate com a presença do diretor da obra cinematográfica, Siloé Amorim; Joabson Santos, produtor e da Pesquisadora, Raquel Rocha.

O segundo dia inicia-se com o momento celebrativo (Mushaká) às 8hs, sob a coordenação do Reverendo João Valença e Padre Manoel Henrique. Em seguida, acontece a mesa-redonda com o tema “Cristianismo e Cultura Afro-Brasileira: Desafios e Perspectivas para o Diálogo e a Inculturação”, com a participação do conferencista: Prof. Dr. Sérgio Douets (UNICAMP – Recife/PE); os debatedores, Reverendo João Valença (Rio de Janeiro/RJ) e Prof. João Rosalvo (Maceió/AL); e para mediar o debate o Prof. Zezito Araújo (UFAL – Maceió/AL).

 Para o Pe. Manoel Henrique de Melo, o seminário é de grande importância por reunir vários segmentos da sociedade num único propósito, a promoção do diálogo e o respeito inter-religioso. “Nós achamos que não só as igrejas cristãs devam se unir em defesa dos afro-descendentes, é uma necessidade que também deve ser debatida no nível acadêmico e em todos os fenômenos religiosos, para contribuir de maneira efetiva numa sociedade que se aceite pluralista e compreenda as diferentes culturas que se interagem”, declarou o padre que também coordena o seminário.

 

Serviços

I Seminário sobre Teologia, Ciência e Diálogo Inter Religioso

Dias: 30.11 e 01.12 (sexta-feira e sábado)

Local: Auditório João Sampaio/CESMAC – Rua Cônego Machado, 918, Farol.

Contatos: (82) 9969-9012 / 3327-2301 / 9119-5730 / 8857-0786.

As inscrições podem ser feitas no local. (entrada franca)

Especial: Mês da Consciência Negra

28 de novembro de 2007 Deixe um comentário
 

QUILOMBAGEM

MISA ACÚSTICO
Apresenta:

QUILOMBAGEM
Pelo fim do silêncio ou pelo início do grito?

Assim se define a ruptura que surge nas melodias e cânticos do Grupo Quilombagem. Os músicos Jurandir Bozo (Poeira Nordestina), Luiz de Assis (Vibrações), se juntaram ao professor de capoeira angola Gilson Vilela, para fazer valer na arte mais um espaço para a propagação da cultura afro-alagoana e suas histórias.

Quando: Dia 01 de dezembro – sábado
Hora: 20h
Onde: Museu da Imagem e do Som – Misa – Jaraguá
Quanto: Entrada Franca

Mais do que um show, Quilombagem é uma releitura das culturas negras alagoanas.

Categorias:Entretenimento

Especial: Mês da Consciência Negra

28 de novembro de 2007 Deixe um comentário
 

I Seminário sobre Teologia, Ciência e Diálogo Inter Religioso

 

 

Cristianismo e Cultura Afro-Brasileira: Desafios e Perspectivas para o Diálogo e a Inculturação

 

 

Dias: 30 de novembro e 1º de dezembro de 2007

Local: Auditório do CESMAC

Promoção:

  • Curso de Teologia – CESMAC
  • Arquidiocese de Maceió
  • Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) – UFAL
  • Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro
  • Sociedade de Teologia e Ciências da Religião (SOTER) – Regional Nordeste

Contatos: (82) 9969-9012 / 3327-2301 / 9119-5730 / 8857-0786

 

 

Programação:

 

30.11 (sexta-feira)

19h – Abertura e Apresentação artística de grupos afro-brasileiros

19h30 – Projeção do Documentário: “1912: O Quebra de Xangô”

20h30 – Debate sob a coordenação de Siloé Amorim (Diretor), Joabson Santos (Produtor), Raquel Rocha (Pesquisadora)

 

01.12 (sábado)

8h – Momento Celebrativo Mushaká com o Reverendo João Valença e Padre Manoel Henrique

9h – Mesa –redonda

Conferencista: Prof. Dr. Sérgio Douets (UNICAMP – Recife/PE)

Debatedores: Reverendo João Valença (Rio de Janeiro/RJ) e Prof. João Rosalvo (Maceió/AL)

Moderador: Prof. Zezito Araújo (UFAL – Maceió/AL)

10h30 – Debates

12h – Encaminhamentos e Encerramento

 

 

Especial: Mês da Consciência Negra

28 de novembro de 2007 Deixe um comentário
 

Culto afro celebra a identidade étnica-racial

 

 

Por: Helciane Angélica

(Jornalista – 1102 MTE/AL)

 

 

 

A Pastoral da Negritude da Igreja do Pinheiro realizou durante todo o dia 25 de novembro (domingo), um culto afro para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra. A atividade integra o calendário anual da Igreja, encontra-se na terceira edição e busca promover o intercâmbio étnico-cultural entre os fiéis e convidados de outras crenças.

Sob o comando do Pastor Welligton Santos, o culto matinal foi marcado pela descontração e as palavras de auto-estima, que exaltavam a identidade étnica-racial e refletia sobre a conjuntura do povo afro-descendente. Acadêmicos africanos da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) oriundos de Moçambique, Guiné Bissau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe – foram recebidos com entusiasmo pelos presentes, que prestigiaram o desfile de trajes típicos e a demonstração das danças características de cada país.

O culto afro já é uma das mais importantes ações da igreja que tem visão progressista. O coordenador da Pastoral da Negritude, Benedito Jorge da Silva Filho, destacou a importância de trabalhar a auto-estima dos afros-descendentes e o discurso inter-religioso. “Diante dessa intolerância religiosa existente nas igrejas evangélicas como um todo, é muito importante que uma igreja como a nossa trabalhe a temática afro. Respeitando as demais religiões independente da ideologia e ajudar na construção de um novo paradigma, ressaltando os momentos de reflexão e os encontros inter-religiosos. É preciso aprendermos a trabalhar o pluralismo, só assim o ser humano irá evoluir”, afirmou o coordenador.

Para dar prosseguimento as atividades, os participantes retornaram às 18h para assistir ao documentário “Vista minha pele” e para a segunda etapa do culto afro, com os testemunhos dos membros da Pastoral da Negritude. O documentário tem duração de 24 min, foi produzido pelo Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (Ceert) de São Paulo sob a direção de Joel Zito Araújo em 2006. Desenvolve uma sátira sobre a democracia racial no Brasil, além de fazer um convite à reflexão sobre a discriminação racial e o papel de cada indivíduo neste contexto.

 A Pastoral da Negritude da Igreja do Pinheiro foi criada no dia 15 de novembro de 2005, e atualmente possui uma coordenação composta por oito membros. Ao longo da sua trajetória vem participando da Escola Dominical abordando a temática negra; nas atividades do Conselho Nacional de Negras e Negros Cristãos (CNNN); e ações do movimento negro alagoano. Tem como missão trabalhar a releitura da bíblia partindo da ótica étnica-racial, além de lutar contra todo tipo de preconceito referente à raça, credo, gênero e idade.

  

Para mais informações sobre a Pastoral da Negritude:

Endereço: Rua Miguel Palmeira, 1300, Pinheiro. Cep:57055-330 Maceió-AL

Fones: (82) 9119-5730 / 8857-0786 / 8814-6084 / 3241-9402 / 3032-5505

E-mails: bjorgefilho@bol.com.br / gilvaneide2001@ig.com.br

Especial: Mês da Consciência Negra

28 de novembro de 2007 Deixe um comentário
 

Serra da Barriga é palco da Romaria da Terra

 

 

Por: Helciane Angélica

(Jornalista – 1102 MTE/AL)

 

 

 

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) em parceria com a Arquidiocese de Maceió e a Paróquia Santa Maria Madalena realizou nos dias 24 e 25 novembro a Romaria da Terra, com o tema: “Da conquista da Serra à luta pela terra”.  A atividade integra a Celebração da Semana da Consciência Negra e mescla cultura, política e religião na cidade de União dos Palmares e na Serra da Barriga.

Durante 12 anos a Romaria da Terra foi realizada na Serra da Barriga, a primeira edição aconteceu em dezembro de 1988 com o tema “Terra Mãe: filhos livres”, a partir de 2000 tornou-se itinerante. Tem como objetivo promover a reflexão sobre a luta histórica dos quilombolas contra a monocultura da cana e o senhor de engenho, repercutindo na luta dos sem-terra contra a monocultura e o latifúndio. De acordo com os coordenadores, a equipe de trabalho é composta por aproximadamente 100 pessoas, incluindo os voluntários.

Na terra sagrada de Zumbi dos Palmares e que representa a resistência negra, participarm cerca de 8 mil pessoas, dentre: camponeses, assentados, lideranças da Igreja Católica e representantes dos movimentos sociais, oriundos na sua maioria de Alagoas e demais estados do Nordeste. De Maceió sairão vinte ônibus e uma delegação formada por italianos.

A concentração será na Praça Brasiliano Sarmento no centro da cidade, seguida de apresentações culturais e da cerimônia religiosa. Os participantes foram conduzidos a Serra da Barriga no inicio da madrugada e com três paradas estratégicas para momentos de reflexão sobre a questão da terra e descanso, nos sítios Jurema, Recanto e na região das jaqueiras, próxima a Torre da Chesf.

A caminhada foi encerrada no platô da Serra da Barriga, e os participantes descansaram e tiveram a oportunidade de conhecer o Parque Memorial Quilombo dos Palmares, primeiro complexo arquitetônico de inspiração africana do continente americano construído no local. A Semana da Consciência Negra é uma promoção do Ministério da Cultura e da Fundação Cultural Palmares, em parceria com o Instituto Magna Mater, Governo de Alagoas, Prefeitura de União dos Palmares, Fórum de Entidades Negras de Alagoas (FENAL), Associação dos Grupos Culturais e Entidades Negras de União dos Palmares (AGRUCENUP), ONG Anajô, Sebrae e o Banco Nordeste. A Petrobras é a patrocinadora dos eventos.

Especial: Mês da Consciência Negra

23 de novembro de 2007 Deixe um comentário
 

Sindjornal instala comissão pela igualdade racial

 

 

O seminário de instalação da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojira) em Alagoas, acontece no dia 24 de novembro, com palestras e apresentações afro-culturais

 

 

Por: Helciane Angélica

 (Jornalista – 1102 MTE/AL)

                            

 

Você já parou para pensar quantos jornalistas negros existem em Alagoas? E quantos desses profissionais se reconhecem e tem orgulho da sua negritude? Reforçando, já parou para pensar quantos jornalistas, independente da cor da pele, estão preparados para abordar as questões étnicas-raciais e sociais em seu cotidiano?

Essas e outras perguntas, com certeza, ficam no imaginário de muita gente. Mais evidentes estão as indagações sobre a abordagem da mídia referente à tematização afro, que na maioria das vezes é factual, rápida e destaca apenas o aspecto cultural e não fala da importância histórica. Por que o povo afro-brasileiro ainda não se vê na grande mídia, aliás, ver sim: nas notícias policiais, que destacam a violência urbana e as fugas dos presídios; nos índices de analfabetismo e desemprego; nos corredores dos hospitais; nos carnavais da vida e jogando futebol – tudo nas entrelinhas.

Pensando em dar “Visibilidade às questões étnicas nos meios de comunicação e no mercado de trabalho” – tese do 31º Congresso Nacional dos Jornalistas, realizado em 2004 na Paraíba – vem sendo criada a Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojira) em todo o Brasil, o que mobilizou a discussão e ampliou as ações da categoria.

Atualmente, existem quatro comissões formadas no território brasileiro, interligados aos Sindicatos de Jornalistas. A Cojira tem representação em São Paulo, pioneira em 2000; no Rio Grande do Sul, criada em 2001 como Núcleo de Jornalistas Afro-Brasileiros do RS; Rio de Janeiro em 2003; e Brasília, criada recentemente. Os jornalistas baianos também possuem interesse e devem lançar sua comissão até o final do ano.

 

Seminário de instalação

Alagoas será o quinto estado da federação e o primeiro do Nordeste a implantar a Cojira. O seminário será realizado no dia 24 de novembro, a partir das 8h30 no auditório do Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET/AL). A atividade contará com a participação de jornalistas profissionais, acadêmicos de comunicação e lideranças do movimento negro alagoano. As inscrições são gratuitas e acontecem na sede do Sindjornal ou pelo telefone 3326-9168, e no próprio local do evento.

A programação inicia-se com o hino nacional interpretado pelo cantor Igbonan Rocha, acompanhado pela Orquestra de Berimbaus do Grupo Besourartes, consta também, a apresentação do afoxé Odô Iyá, do Ponto de Cultura Quilombo dos Orixás. As palestras serão ministradas por Sandra Martins da Cojira/RJ e Vera Daisy Barcellos, do Núcleo de Jornalistas Afro-Brasileiros do RS. Para o encerramento, será servido um almoço à base da culinária afro-brasileira para os participantes no Restaurante Dendê da Bahia.

O seminário integra as comemorações da semana da Consciência Negra, é uma realização do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Alagoas (Sindjornal) em parceria com a Federação Nacional de Jornalismo (Fenaj), recebe o apoio da Fundação Cultural Palmares, Instituto Magna Mater, Centro de Educação Superior de Maceió (Cesmac), ONG Anajô, Cefet/AL, Instituto Zumbi dos Palmares (IZP), Federação da Indústria, Banco do Nordeste, Braskem, Sindprev, Shopping Iguatemi e Gerência Étnico Racial da Secretaria Estadual de Educação e Esporte.

A Cojira/AL é mais uma conquista e referencia a luta do povo afro-brasileiro, principalmente, nesse estado onde se articulou a sede do Quilombo dos Palmares, na Serra da Barriga em União dos Palmares – solo sagrado e palco da resistência negra. De portas abertas para novos membros, será mais um mecanismo de discussão sobre as ações afirmativas; luta anti-racismo e respeito; apoio nas ações políticas-culturais que promovam a identidade étnica-racial; desenvolvimento de pesquisas; interlocução com a sociedade; sensibilização e formação de profissionais e acadêmicos.

Especial: Mês da Consciência Negra

18 de novembro de 2007 Deixe um comentário
 
 

União dos Palmares é sede do Encontro Nacional

 

 

Representante de Comunidades Remanescentes de Quilombo e Religiosos de Matriz Africana discutirão as políticas públicas na Terra de Zumbi dos Palmares

 

Por: Helciane Angélica (Jornalista)

 

 

              A cidade de União dos Palmares sediará o Encontro Nacional de Comunidades Tradicionais: Quilombolas e Religiosos de Matriz Africana, no Auditório da Prefeitura, nos dias 18, 19 e 20 de novembro. A atividade integra a Celebração do 20 de novembro em Alagoas, que possui uma extensa programação sócio-cultural, política e religiosa. O município tem como referência histórica, turística e cultural a Serra da Barriga – palco da resistência negra e tombada como Patrimônio Nacional, Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico.

O encontro irá reunir cerca de 200 participantes, dentre elas, lideranças quilombolas, religiosos de matriz africana; representantes dos Governos Municipal, Estadual e Federal, bem como, a sociedade civil. Tem como objetivo dar uma visão geral da legislação quilombola, das políticas públicas e explanação sobre a organização política das associações quilombolas.

Alagoas será representada por 120 quilombolas representando as comunidades de: Carrasco e Pau D’arco (Arapiraca); Poços do Lunga, Mameluco e Lagoa do Coxo (Taquarana); Caja dos Negros (Batalha); Paus Pretos (Monteirópolis); Gameleira (Olho D’agua das Flores); Palmeira dos Negros (Igreja Nova); Tabacaria (Palmeira dos Índios); Povoado Cruz (Delmiro Gouveia); Jacú Mocó, Alto do Tamanduá e Jorge (Poço das Trincheiras); Muquem (União dos Palmares); e religiosos de matriz africana ligados às quatro federações e os três núcleos alagoanos.

A programação é composta por palestras ministradas por renomados profissionais e apresentações culturais como a banda de pífanos da comunidade Carrasco e o trio forrozeiro da comunidade quilombola Serra do Talhado – Santa Luzia do Sabugi (PB), que irão garantir a animação e o intercâmbio sócio-cultural. Na segunda (19.11) todos os participantes irão prestigiar a solenidade de inauguração do Parque Memorial Quilombo dos Palmares – primeiro complexo arquitetônico de inspiração africana do continente americano – construído no platô da Serra da Barriga em União dos Palmares.

A Semana da Consciência Negra é uma promoção do Ministério da Cultura e da Fundação Cultural Palmares, em parceria com o Instituto Magna Mater, Governo de Alagoas, Prefeitura de União dos Palmares, Fórum de Entidades Negras de Alagoas (FENAL), Associação dos Grupos Culturais e Entidades Negras de União dos Palmares (AGRUCENUP), ONG Anajô, Sebrae e o Banco Nordeste. A Petrobras é a patrocinadora dos eventos.

 

Programação:

 

18 DE NOVEMBRO DE 2007 (DOMINGO)

07:30 Credenciamento

08:30 – Abertura com a apresentação da Banda de Pífanos da comunidade quilombola de Carrasco, localizada no município de Arapiraca (AL).

08:45 Mesa de abertura com autoridades representativas

09:30 – Painel: Novos Instrumentos Administrativos para a emissão da Certidão de Auto-Reconhecimento e Regularização Fundiária dos Territórios Quilombolas :

·  Ações da Diretoria de Proteção do Patrimônio Afro-Brasileiro nas comunidades tradicionais 20′

·  Procuradores da Fundação Cultural Palmares: Maria Amélia Caracas e Alcides Gama-20′

·  Coordenação de Quilombos do INCRA-20′

10:30 – Debate

11:00 Lanche

11:15 Palestra: As pessoas idosas nas Comunidades Quilombolas: Desafios e Necessidades Palestrante: Vitor Jorge Woytuski Brasil – Médico da Fundação de Apoio e Valorização do Idoso-Mestre em Ciências, especializado em Saúde Coletiva, Educação em Saúde e em Gerontologia.

12:00 Debate

12:30h Almoço

14:30 Palestra: Corporeidade e Negritude (1a. Parte). Palestrante: Lepê Correia – Psicólogo, jornalista e pesquisador.

15:30 Lanche

15:45 Palestra: Corporeidade e Negritude (parte final) – Lepê Correia.

17:00h Encerramento: apresentação da Banda de Pífanos da comunidade quilombola de Carrasco.

 

 

19 DE NOVEMBRO DE 2007 (segunda-feira)

11hCerimônia de Inauguração do Parque Memorial Quilombo dos Palmares na Serra da Barriga em União dos Palmares, com a presença do Ministro da Cultura, Gilberto Gil; Zulu Araújo, Presidente da Fundação Cultural Palmares; Teotônio Vilela, Governador de Alagoas; José Pedrosa, Prefeito de União dos Palmares; autoridades locais; quilombolas, religiosos de matriz africana e representantes de grupos ligados ao movimento negro, além de convidados de todo o país.

 

 

20 DE NOVEMBRO DE 2007 (terça-feira)

09:00 – Palestras sobre: Plantas Medicinais e Sagradas – Lepê Correia e Ilie Baranjak

10:00 – Debate

10:30 – Lanche

10:45 – Palestra: Organização das Associações – Ilie Baranjak

11:45 – Fala da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais – CONAQ;

12:15 – Debate

12:30 – Almoço

14:30h 17:00h – Encerramento com apresentações culturais, com destaque para o trio forrozeiro da Comunidade Quilombola de Serra do Talhado – Santa Luzia do Sabugi (PB).

Especial: Mês da Consciência Negra

17 de novembro de 2007 Deixe um comentário
 

União dos Palmares festeja o Dia Nacional da Consciência Negra

 

 

 

Por: Helciane Angélica (Jornalista)

 

 

  

O 20 de novembro, Dia da Consciência Negra refere-se à data do assassinato de Zumbi dos Palmares em 1695, imortalizando e reconhecido como herói nacional. Esta data tornou-se um marco importante no calendário nacional, um momento estratégico para homenagear todos os guerreiros quilombolas que resistiram no Quilombo dos Palmares, ressaltando a identidade étnico-racial e a reflexão sobre a conjuntura do povo afro-brasileiro.

Em Alagoas não poderia ser diferente, a importância histórica do maior de todos os quilombos e da Serra da Barriga é reafirmada durante todo o mês de novembro com atividades sócio-políticas, culturais e religiosas. A Serra da Barriga também chamada de Cerca Real dos Macacos foi a sede do Quilombo dos Palmares, considerada o templo da resistência negra é enquadrada como Patrimônio Nacional, Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico. Encontra-se no Planalto da Borborema, com 5km de subida e 500m acima do nível do mar, possui no seu platô o Parque Memorial Quilombo dos Palmares – primeiro complexo arquitetônico de inspiração africana do Brasil e do continente americano.

Para celebrar o 20 de novembro nesta terça-feira, será realizado um grande show artístico a partir das 21hs na Praça Basiliano Sarmento em União dos Palmares, com a atração nacional do reggaeiro Edson Gomes. Para iniciar a festa, o renomado grupo oriundo do município “Thiago Correia e Comunidade Quilombolas”, apresentará as músicas do seu último Cd-demo Nativo Primitivo e também de artistas influentes no som da banda, que há oito anos vem contribuindo para o desenvolvimento da música alternativa e exalta o xote, afro reggae, coco de roda e o rock.

A “Celebração do 20 de novembro em Alagoas” possui uma extensa programação iniciada no último dia 15 e se estende até o dia 24 com a 20ª Romaria na Terra de Zumbi, durante a madrugada na Serra da Barriga. A semana da Consciência Negra é uma promoção do Ministério da Cultura e da Fundação Cultural Palmares, em parceria com o Instituto Magna Mater, Governo do Estado, Prefeitura de União dos Palmares, Sebrae, Fórum de Entidades Negras de Alagoas (FENAL), Associação dos Grupos Culturais e Entidades Negras de União Palmares (AGRUCENUP), ONG Anajô e o Banco Nordeste, e a Petrobras é a patrocinadora dos eventos.

Especial: Mês da Consciência Negra

16 de novembro de 2007 Deixe um comentário

 

Parque Memorial Quilombo dos Palmares é inaugurado em Alagoas

 

Construído no Platô da Serra da Barriga, o primeiro complexo arquitetônico de inspiração africana do continente americano, será inaugurado no dia 19 de novembro

 

 

 

Por: Helciane Angélica (Jornalista)

 

 

O Parque Memorial Quilombo dos Palmares é o primeiro parque temático cultural afro-brasileiro do país e único complexo arquitetônico de inspiração africana de todas as Américas. A solenidade oficial de inauguração será realizada no dia 19 de novembro a partir das 11h, no platô da Serra da Barriga localizada no município de União dos Palmares (AL), há 92km da capital alagoana, com 5km de subida e 500m acima do nível do mar.

Idealizado e construído pelo Instituto Magna Mater (IMM) em parceria com a Fundação Cultural Palmares, foi viabilizado com recursos do Ministério do Turismo, patrocínio da Petrobrás e apoio da Prefeitura de União dos Palmares. O Parque Memorial homenageia guerreiros e guerreiras que lutaram por um ideal de liberdade e exalta o maior e mais importante de todos os quilombos. Elementos da cultura afro-brasileira contemporânea foram incorporados como herança do século de resistência palmarina.

Na solenidade estarão presentes o Ministro da Cultura, Gilberto Gil; Zulu Araújo, Presidente da Fundação Cultural Palmares; Teotônio Vilela, Governador de Alagoas; José Pedrosa, Prefeito de União dos Pamares; autoridades locais; quilombolas, religiosos de matriz africana e representantes de grupos ligados ao movimento negro, além de convidados de todo o país.

Segundo Patrícia Mourão, Secretária Executiva do Instituto Magna Mater, “o Parque Memorial Quilombo dos Palmares é a materialização de um sonho de 20 anos do movimento negro brasileiro e de todos aqueles que acreditam na liberdade, na igualdade racial e social, cujo símbolo maior na história do Brasil foi a saga do Quilombo dos Palmares”, declarou.

 

Inauguração

Para facilitar o acesso dos visitantes até o Parque, o II Batalhão da Polícia Militar e a Equipe da Guarda Florestal orientarão os locais apropriados para o estacionamento. No dia da inauguração, meios de transportes alternativos como vans e micro-ônibus serão disponibilizados para o translado, preferencialmente de idosos, crianças, gestantes e portadores de necessidades especiais.

 A solenidade terá início com a execução do hino nacional e arranjo de abertura ao som do berimbau, seguido pelos pronunciamentos das autoridades e aposição da placa inaugural do Parque. Para finalizar o grande dia, acontecerá uma roda de capoeira especial entre renomados mestres e contra-mestres do Estado. 

 

O Parque

Construído na Serra da Barriga, o local que foi a sede do Quilombo dos Palmares, é considerado o templo da resistência negra, além de ser tombado como Patrimônio Histórico, Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico.

Foram dois anos de intenso trabalho (idealização, pesquisa, sensibilização e construção) executado por uma equipe constituída por aproximadamente 250 pessoas, entre pesquisadores, consultores, historiadores, turismólogos, produtores, artistas, artesãos, engenheiros, arquitetos, arqueólogos e moradores da Serra. O projeto arquitetônico é do Alex Barbosa. 

Turistas nacionais e internacionais poderão aprofundar o conhecimento sobre a saga do povo palmarino, que resistiu por quase cem anos aos ataques portugueses e holandeses, in loco e pelo site http://www.quilombodospalmares.org.br. O Parque encontra-se aberto ao público das 8h às 17hs, horário já estabelecido para o acesso à Serra da Barriga.

A infra-estrutura é composta pelo Restaurante Kúuku-Wáana (banquete familiar), Onjó de Farinha (casa de farinha), Casa de Apoio aos Religiosos Onjó Cruzambê (Casa do Campo Santo), Terreiro das Ervas (Oxile das Ervas), Ocas Indígenas, Espaço Batucajé (dança ao som de tambores) com espaço para roda de capoeira, loja de artesanato e posto de informações turísticas, ocas indígenas e o Muxima de Palmares (coração de Palmares), todos em formato de pau-a-pique, cobertura vegetal e madeira de eucalipto alto clavado.

Para favorecer a contemplação, existem placas de sinalização que facilitam o deslocamento dos visitantes, além de textos interpretados em quatro idiomas (português, inglês, espanhol e italiano) instalados em pontos estratégicos com um sistema inédito de áudio. Dentre os artistas nacionais consagrados que emprestaram suas vozes para a locução estão: Carlinhos Brown no Espaço Zumbi: “”Palmares é resistência e luta pela liberdade”; Chica Xavier no Espaço Acotirene: “uma saudação aos orixás”; Djavan no Espaço Caá-puêra: “dançando, comendo e bebendo”; Leci Brandão no Espaço Quilombo: “a saga de palmares”; Tony Tornado no Espaço Ganga-Zumba:” Palmares é uma nação”; e no Espaço Aqualtune: na Lagoa dos Negros onde está a árvore sagrada, uma música composta einterpretada por Leila Pinheiro, com arranjos do maestro Almir Medeiros.

   

Especial: Mês da Consciência Negra

16 de novembro de 2007 Deixe um comentário
 
Lideranças do Movimento Negro de Alagoas reúnem-se com a FCP
 
 
 
Por: Helciane Angélica (Jornalista)
 
 
  
Na tarde desta quinta-feira (15.11), antes do início da Celebração do 20 de novembro em Alagoas foi realizada em Maceió uma reunião especial entre a Fundação Cultural Palmares/Ministério da Cultura e representantes de grupos filiados ao Fórum de Entidades Negras de Alagoas (FENAL), ONG Anajô e Instituto Magna Mater.
Na ocasião, Antonio Pompêo – Diretor de Promoção, Estudos, Pesquisas e Divulgação da Cultura Afro-Brasileira da Fundação Cultural Palmares – recebeu as lideranças para um bate-papo, que possibilitou o esclarecimento de algumas dúvidas sobre o envio de projetos e reforçou a importância da instituição junto ao movimento negro. Também foi relatado que em 2008, os vinte anos da Fundação e os 120 anos da abolição serão os eixos temáticos.
Antonio Pompêo destacou a relevância da questão étnica-racial durante todo o ano e o papel do movimento negro nesse processo. “A Fundação Cultural Palmares tem a preocupação de preservar e difundir a cultura afro-brasileira, é uma luta que não se resume apenas ao mês da Consciência Negra. Hoje o movimento negro está com uma série de informações e demandas para serem trabalhadas com a sociedade, e não apenas entre os grupos. Os seminários e as atividades culturais tem que ir para a rua e repercutir”, afirmou.
O encontro fortaleceu os vínculos entre o movimento negro e a Fundação Cultural Palmares contribuindo para uma melhor comunicação, além de estimular o desenvolvimento de ações sócio-políticas, pesquisas, formação de lideranças e atividades que promovam a auto-estima do povo afro-alagoano e o respeito inter-religioso.