Início > Notícias e política > Especial: Mês da Consciência Negra

Especial: Mês da Consciência Negra

 

Cojira-AL participa de Ciclo de Debates sobre Ações Afirmativas

 

 

A convite da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), órgão ligado à Presidência da República, o Sindicato dos Jornalistas de Alagoas (Sindjornal), por meio da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojira), participa do Ciclo de Debates “Ações Afirmativas: estratégias para ampliar a democracia”, que acontece no Centro de Convenções do Hotel Pestana, em São Paulo, até o dia 3 de dezembro.

A necessidade de inclusão de temas relacionados à população negra e à cultura afro-brasileira na programação da recém-criada TV pública dominou as discussões no quarto encontro do referido ciclo, no dia 22 de outubro. Outra questão de destaque tratada pelos participantes foi a perspectiva de contratação de profissionais negros e indígenas para atuar nos vários tipos de programas e nos telejornais da nova emissora, o que possibilitaria de fato tornar a TV Brasil mais representativa em relação à diversidade racial do país.

Participaram da mesa o secretário-executivo da Secretaria de Comunicação Social (Secom) do governo federal, Ottoni Fernandes Júnior, o diretor da Fundação Padre Anchieta (TV Cultura) Gabriel Priolli e a doutoranda em jornalismo e representante da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (Cojira-SP)  Rosane Borges. Como comentarista, o cineasta e pesquisador Joel Zito Araújo, e na coordenação da mesa, Nelson Inocêncio, da Fundação João Mangabeira.

Em sua apresentação, a integrante da Cojira-SP, Rosane Borges enfocou três práticas da mídia que denotam a prevalência do racismo: a representação negativa dos afro-descendentes em toda a programação, nas imagens de telenovelas e nos filmes; a presença diminuta de profissionais negros nas redações; e a cobertura parcial que se realiza pela grande imprensa, sempre contrária às ações afirmativas, particularmente quando são pautadas as cotas para negros e indígenas nas universidades.

Estratégias de atuação – O secretário-executivo da Secom Ottoni Fernandes Júnior destacou em sua exposição que é missão da Secom promover a diversidade étnico-racial e que esse desafio está inscrito como uma das prioridades da tevê pública. Defendeu a constituição de uma agência de notícias independente e especializada na temática racial para tentar influir na pauta dos veículos de comunicação e na consciência dos jornalistas, com o objetivo de que a abordagem seja mais freqüente e se dê da forma correta. Afirmou, por fim, que os sites se tornam ferramentas importantes de comunicação, o que merece atenção especial da sociedade civil para divulgar assuntos de seu interesse.

Invisibilidade – O cineasta Joel Zito Araújo apresentou dados de pesquisa recente realizada por ele com a programação da TV Cultura, da Rede Brasil e da TV Nacional para avaliar a presença de referências à cultura negra. De acordo com a análise, 82% dos programas não faziam referência alguma à cultura afro-brasileira e apenas 0,9% poderiam ser identificados como pertencentes à cultura negra. As produções que faziam referências à cultura negra, em mais da metade do programa, chegaram a 3,2% e as que traziam uma pequena referência a 3,9%.

Nos telejornais das emissoras pesquisadas, 88,6% dos apresentadores são brancos, 8,6% são negros e 0,8% descendentes de indígenas. Ele citou como exemplo um documentário exibido recentemente por uma das tevês estudadas sobre religiosidade, no qual uma repórter branca percorreu todo o interior do Nordeste brasileiro entrevistando a população. O programa exibido não trouxe uma referência sequer às religiões de matriz africana.

Segundo Araújo, fatos assim denotam que a tv pública não é expressão da diversidade racial e de classe existente no Brasil. "Isso acontece porque a tv pública expressa a visão da classe média alta, que quer ser contemporânea e segue tendências internacionais da moda", concluiu.

 

___________________________________

Valdice Gomes é jornalista (MTE 288/AL)

Vice-presidente do Sindjornal /Vice-Regional NE 2 da Fenal

Integrante da Cojira-Alagoas

Vice-presidente da Ong Anajô
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: