Inicial > Notícias e política > Especial: Mês da Consciência Negra

Especial: Mês da Consciência Negra

 

Culto afro celebra a identidade étnica-racial

 

 

Por: Helciane Angélica

(Jornalista – 1102 MTE/AL)

 

 

 

A Pastoral da Negritude da Igreja do Pinheiro realizou durante todo o dia 25 de novembro (domingo), um culto afro para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra. A atividade integra o calendário anual da Igreja, encontra-se na terceira edição e busca promover o intercâmbio étnico-cultural entre os fiéis e convidados de outras crenças.

Sob o comando do Pastor Welligton Santos, o culto matinal foi marcado pela descontração e as palavras de auto-estima, que exaltavam a identidade étnica-racial e refletia sobre a conjuntura do povo afro-descendente. Acadêmicos africanos da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) oriundos de Moçambique, Guiné Bissau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe – foram recebidos com entusiasmo pelos presentes, que prestigiaram o desfile de trajes típicos e a demonstração das danças características de cada país.

O culto afro já é uma das mais importantes ações da igreja que tem visão progressista. O coordenador da Pastoral da Negritude, Benedito Jorge da Silva Filho, destacou a importância de trabalhar a auto-estima dos afros-descendentes e o discurso inter-religioso. “Diante dessa intolerância religiosa existente nas igrejas evangélicas como um todo, é muito importante que uma igreja como a nossa trabalhe a temática afro. Respeitando as demais religiões independente da ideologia e ajudar na construção de um novo paradigma, ressaltando os momentos de reflexão e os encontros inter-religiosos. É preciso aprendermos a trabalhar o pluralismo, só assim o ser humano irá evoluir”, afirmou o coordenador.

Para dar prosseguimento as atividades, os participantes retornaram às 18h para assistir ao documentário “Vista minha pele” e para a segunda etapa do culto afro, com os testemunhos dos membros da Pastoral da Negritude. O documentário tem duração de 24 min, foi produzido pelo Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (Ceert) de São Paulo sob a direção de Joel Zito Araújo em 2006. Desenvolve uma sátira sobre a democracia racial no Brasil, além de fazer um convite à reflexão sobre a discriminação racial e o papel de cada indivíduo neste contexto.

 A Pastoral da Negritude da Igreja do Pinheiro foi criada no dia 15 de novembro de 2005, e atualmente possui uma coordenação composta por oito membros. Ao longo da sua trajetória vem participando da Escola Dominical abordando a temática negra; nas atividades do Conselho Nacional de Negras e Negros Cristãos (CNNN); e ações do movimento negro alagoano. Tem como missão trabalhar a releitura da bíblia partindo da ótica étnica-racial, além de lutar contra todo tipo de preconceito referente à raça, credo, gênero e idade.

  

Para mais informações sobre a Pastoral da Negritude:

Endereço: Rua Miguel Palmeira, 1300, Pinheiro. Cep:57055-330 Maceió-AL

Fones: (82) 9119-5730 / 8857-0786 / 8814-6084 / 3241-9402 / 3032-5505

E-mails: bjorgefilho@bol.com.br / gilvaneide2001@ig.com.br

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: