Arquivo

Archive for agosto \23\UTC 2008

AVANÇO

23 de agosto de 2008 Deixe um comentário
 

FENAJ intensifica a luta pela igualdade racial

 

 

 

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) realizará no segundo semestre de 2009 um seminário que reunirá jornalistas afro-brasileiros sob a organização das Comissões de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojiras) do município do Rio de Janeiro, dos Estados de São Paulo, Bahia e Alagoas, do Distrito Federal em conjunto com o Núcleo de Jornalistas Afro-Brasileiros do Rio Grande do Sul. A coordenação do evento será da Comissão Nacional de Jornalistas pela Igualdade Racial, órgão consultivo de assessoramento da Fenaj, criado como uma das decisões do II Encontro Nacional das Cojiras e do Núcleo (RS) incluído na programação oficial do 33º Congresso Nacional dos Jornalistas (de 20 a 24 de agosto), que acontece em São Paulo, capital.

Os representantes das Cojiras e do Núcleo indicaram a jornalista Valdice Gomes, presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Alagoas, para estar à frente da coordenação da Comissão Nacional.

O presidente da Fenaj, Sergio Murillo, aprovou a criação da Comissão Nacional e afirmou que a Federação tem como um de seus objetivos estratégicos a produção do Seminário . Ele participou ativamente do II Encontro dialogando com os representantes das Cojiras e do Núcleo e, mais uma vez, se comprometeu a continuar incentivando o surgimento de outros grupos em todos os sindicatos filiados a Fenaj.

Participaram do II Encontro como representantes das Cojiras e do Núcleo gaúcho os jornalistas Flavio Carrança, Paulo Vieira Lima, Osvaldo Faustino e Rosane Borges (São Paulo); Valdice Gomes (Alagoas); Ana Alakija (Bahia); Sionei Leão (Distrito Federal); Miro Nunes (município do Rio de Janeiro);Vera Daisy Barcellos (Rio Grande do Sul) e Dalmo Oliveira, que está incentivando o processo de organização semelhante na discussão étnico-racial no Sindicato da Paraíba.

Fonte: Miro Nunes (Cojira-Rio/SJPMRJ) do 33º Congresso Nacional de Jornalistas em São Paulo

Publicado no Jornal Ìrohín online – 22/08/2008

Cojira-AL

23 de agosto de 2008 Deixe um comentário
 
Negros e Olimpíadas
 
 
As Olimpíadas são consideradas o espaço de integração internacional, onde em um mesmo local, reúnem-se os melhores atletas do mundo. Os campos, quadras, piscinas, tatames, pistas, rings se transformam em palcos da superação dos limites.

Para quem não sabe, o primeiro negro a ganhar uma medalha olímpica foi o norte-americano George Poage em 1904, que conquistou o bronze nos 400 metros com barreiras nos Jogos Saint Louis (EUA). Essa foi a terceira edição dos Jogos Olímpicos Modernos, a qual também contou com a participação de Len Tau e Jan Mashiani, os primeiros africanos a competir em Olimpíadas.

Não é fácil participar de um evento como esse, a maioria dos competidores tem que vencer a briga desgastante entre o vigor físico e o equilíbrio emocional aliados às dificuldades financeiras, porém aspectos políticos também podem interferir nos resultados.

Na trajetória dos Jogos Olímpicos, destaca-se o ano de 1968, na Olimpíada da Cidade do México, quando os atletas Tommie Smith e John Carlos (ambos dos Estados Unidos) fizeram a saudação "black power" – braço estendido com o punho enluvado e fechado – durante a cerimônia de premiação. Esse ato histórico serviu para protestar contra a opressão e o racismo que os afro-americanos passavam, mas como punição, o Comitê Olímpico Internacional (COI) baniu-os dos jogos.

O fato é que vários atletas ultrapassam inúmeros obstáculos durante a vida toda para obter sonho olímpico. Quanto ao Brasil, mesmo não sendo uma potência esportiva, amplia o número de participantes e obtém resultados inéditos. Os negros já foram muito hostilizados, hoje, quebram recordes e são considerados heróis.

Comentário publicado na Coluna Axé do jornal Tribuna Independente (19.08.08) e no blog da Cojira (www.cojira-al.blogspot.com).
Texto revisado pela professora Socorro Porciúncula.
Categorias:Igualdade Racial

CONVITE

21 de agosto de 2008 Deixe um comentário

Categorias:Informes

SHOW

13 de agosto de 2008 Deixe um comentário
 

Categorias:Informes

RELIGIÃO

13 de agosto de 2008 Deixe um comentário
 

 

Olubajé: Banquete dos Deuses 

A Casa de Iemanjá realizará no sábado (16), às 19h, a saída de um iniciado na religião de matriz africana e uma celebração chamada Olubajé: o Banquete dos Deuses, ritual específico para o orixá Obaluaiê – senhor da terra. No terreiro, as baianas cantam, dançam trazendo consigo os alimentos sagrados de todos os orixás: amalá, acarajé, ejá, omolocum, são algumas das especiarias compatilhadas entre os participantes e convidados. Forma-se um grande círculo, onde todos podem receber um pouco de cada alimento depositados sobre folhas de mamona. A cerimônia acontece na sede da casa de axé, situada na Rua Dona Alzira Aguiar, 429, no bairro da Ponta da Terra em Maceió. Contatos: 3231-0064 e 8819-6762.

Categorias:Informes

DESABAFO

13 de agosto de 2008 Deixe um comentário
 

Em defesa do Diploma de Jornalismo

 

  Por: Helciane Angélica*

 

 

                A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e os 31 sindicatos filiados realizam de 11 a 17 de agosto, a Semana Nacional de Luta em defesa da obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão. E essa articulação não é por acaso, já que está prestes a  ser julgado o Recurso Extraordinário (RE) 511961, no Supremo Tribunal Federal (STF), e se for aprovado irá desregulamentar a profissão de jornalista.

 Trata-se de um momento extremamente importante e de alerta para jornalistas, acadêmicos e a sociedade. Caso isso aconteça será um tremendo retrocesso, e sem dúvidas, todos sairão prejudicados!  É fato, que precisa investir mais na formação com qualidade para os futuros profissionais e lutar por uma comunicação, verdadeiramente, a favor da população. E outro desafio a ser conquistado é o processo de democratização nos meios de comunicação, porém nem adianta dizer que isso deve-se a forças ocultas, sabemos do fervoroso jogo de interesse.

 Lembro que logo no início da Faculdade (não faz tanto tempo), ouvi a expressão: "Mídia, 4º poder"… Aff, realmente é! Uma informação pode enaltecer ou destruir indivíduos e nações inteiras, transformando realidades em questões de segundos. Portanto, não é uma função para qualquer pessoa. Trata-se de uma profissão tão essencial quanto o ramo da Medicina, já pensou um leigo na sala cirúrgica?!

                A formação do jornalista (assim como de outros profissionais) não equivale apenas aos quatro anos de aprendizado, e sim, toda a experiência adquirida ao ultrapassar as fronteiras das salas de aula (pesquisa, extensão e estágio). O diploma simboliza toda a trajetória acadêmica, afirma que o indivíduo recebeu os conteúdos essenciais para execução do seu trabalho, então, não podemos aceitar mais as inúmeras irregularidades nos meios de comunicação. Pessoas desabilitadas estão ocupando o espaço de quem realmente merece, além de prejudicar a qualidade da informação que você ouve no rádio, ver na TV e acessa na Internet.

É bom lembrar que a desregulamentação prejudicará  sensivelmente os jornalistas negros, mesmo com diploma,  enfrentam dificuldades de espaços no mercado de trabalho. E não é uma questão de capacidade, e sim de oportunidade, uma herança fétida da escravidão e do racismo camuflado existente em nossa sociedade – muitas pessoas podem até discordar, então, sugiro que mentalmente conte o número de jornalistas negros no seu Estado. Bom, isso já seria tema de outro artigo, e não me prolongarei.

          Precisamos realmente de um jornalismo comprometido com a verdade, que garanta a transformação sócio-político-cultural, respeite às diversidades (raça, credo e de gênero), com responsabilidade teórica e técnica. O diploma não é meramente um pedaço de papel, é o critério mais democrático de acesso à profissão!          

         A Semana Nacional de Luta em Alagoas foi lançada no sábado (09), com o Bar da Comunicação, no Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Alagoas (Sindjornal). O Comitê Estadual em Defesa do Diploma amplia a mobilização com visitas as redações de jornais, TVs e assessorias; planfetagem nas faculdades de jornalismo (Ufal, Cesmac e a FITS) do Estado; e encerrará no dia 15, a partir das 14h, com um grande ato público em frente à OAB-AL, no Centro de Maceió. Com certeza devemos fortalecer esse movimento, pois essa não é uma luta apenas da categoria!

 

_________________________________________________________

* Jornalista (1102 – MTE/AL); Presidente do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô e integrante da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial em Alagoas (COJIRA-AL).

helci_angel@hotmail.com

Categorias:Opinião

INFORME

7 de agosto de 2008 Deixe um comentário
 
 
Olá Pessoas
 
 
      Na próxima terça-feira (12.08), no Sintep, a partir das 9h. Helciane (Presidente do Anajô) e Helcias (Secretário de Cultura do Anajô) estarão finalizando os projetos para apresentar no Edital BNB/Cultura.
      Durante o dia todo … Então, demais Diretores e membros-associados, quem puder apareça para dar sua contribuição.
      Em breve, será divulgada a data da próxima reunião ordinária.
     
Categorias:Anajô