DENÚNCIA

 
 
Serra da Barriga: acesso permitido?
 

  Para ter acesso a Serra da Barriga, palco da resistência negra e solo sagrado do Quilombo dos Palmares, é preciso ter paciência e sorte

 


Texto e fotos: Helciane Angélica *
Jornalista / Cojira-AL


 
Parafraseando Carlos Drummond de Andrade, “no meio do caminho tinha uma pedra, tinha uma pedra no meio do caminho”, a frase famosa pode referenciar as muitas dificuldades de acesso a Serra da Barriga em União dos Palmares, distante 92 km da capital alagoana.


Às vésperas do mês da Consciência Negra, turistas dos mais diversos locais e admiradores do solo sagrado, para chegar ao destino tem que torcer para não chover. Pois durante todo o percurso, os trechos oscilam entre o barro, paralelepípedos e buracos.

Na estrada principal, justamente, onde um "braço" do rio Mundaú passa, tem uma pequena depressão com pedras e são poucos os carros que conseguem atravessar. Outra opção é pela Usina Lajinha, no barro, em meio ao canavial. No período de chuva, prepare-se para momentos emocionantes, pois o trecho lembra um circuito de rali.

Os problemas de acesso persistem devido à indefinição quanto aos recursos. A Prefeitura, o Governo de Alagoas e o Governo Federal realizam uma intensa "corrida de reverzamento" para o cumprimento da responsabilidade.
 


No Parque Memorial Quilombo dos Palmares – primeiro complexo arquitetônico de inspiração africana das Américas – há quatro meses apenas um dos seis pontos de áudio está funcionando, curiosamente, é justamente o texto que foi interpretado pelo alagoano Djavan. Em abril, no período de muitas chuvas, um raio atingiu o transmissor e até agora o conserto não foi providenciado. Os bancos de madeira são tomados pela poeira e começam a ficar esverdeados, por causa da exposição ao sol e a intensa umidade.

Quanto às boas notícias, são: ampliação da equipe de limpeza e a entrada de novos agentes florestais. Esses são os preparativos para recepcionar os visitantes, pois as viagens já começaram a se intensificar. Fica a expectativa que as mudanças não ocorram somente para o mês de novembro, mas que a manutenção seja cotidiana, pois o local histórico e contemplativo merece esse respeito.

Serra da Barriga

A Serra da Barriga situada na cidade de União dos Palmares, na zona da mata do Estado de Alagoas, encontra-se a 500 metros acima do nível do mar no então Planalto da Borborema e próximo ao Rio Mundaú. Também conhecida como Cerca Real dos Macacos, foi a sede administrativa do Quilombo dos Palmares, berço de liberdade para guerreiros e guerreiras quilombolas.

Considerada um palco sagrado e de resistência do povo afro-brasileiro, teve seu reconhecimento quando foi tombada em 1985, como Patrimônio Histórico, Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico. Trata-se de um local de grande importância político-cultural, centro de homenagens, oferendas, pesquisas, encontros, romarias e grandes concentrações no mês da Consciência Negra.

 

* Também é Presidente do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô / O texto foi publicado no blog da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial de Alagoas (www.cojira-al.blogspot.com)

 

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: