EDUCAÇÃO

 
 
 
 
Alunos e professores da Escola Estadual Alberto Torres reforçam as atividades sobre a identidade negra e promovem a integração com segmentos afro-alagoanos
Texto e fotos: Helciane Angélica
(Jornalista / Cojira-AL e  Anajô)
 
A Escola Estadual Alberto Torres nas vésperas do mês da consciência negra intensificou as atividades sobre as questões étnico-raciais, e colocou em prática o projeto "Pérola Negra Brasileira: História, importância e lutas do povo negro. Conheça e se orgulhe!”. As atividades tiveram início na última sexta-feira e segue até o dia 16 de outubro, no bairro de Bebedouro em Maceió.

A programação começou com uma tentativa frustrada de ter uma aula de campo no Parque Memorial Quilombo dos Palmares, localizado no platô da Serra da Barriga em União dos Palmares (AL), onde seriam repassadas explanações históricas sobre a importância do Quilombo dos Palmares, lideranças quilombolas, herança cultural e outros aspectos. Porém, a lama, chuva e os buracos foram os principais obstáculos. De acordo com a aluna do 9º ano “A”, Silviane Paula da Silva, 14 anos, essa seria a sua primeira vez no local. “Quando soube da visita à Serra da Barriga achei bom, porque iria conhecer mais, ver tudo aquilo que passava na televisão. Com o problema na subida, a minha alegria durou pouco. De tanto ouvir falar na Serra, tinha a curiosidade de saber mais e como não pude conhecer fiquei muito triste”, declarou.


O desejo dos estudantes em conhecer era enorme, a ponto de muitos sugerir uma caminhada até o platô, mas os coordenadores resolveram encerrar por ali, já que seria muito desgastante (são 5 km de subida) e não estavam com recursos apropriados. Sobre o descaso das autoridades, a professora de ensino religioso, Heloísa Carvalho, desabafou: “Esperei muito tempo por essa oportunidade e fiquei frustrada. Espero que nossos governantes tomem as devidas providências quanto ao acesso e na preservação do nosso patrimônio, devido a riqueza cultural que é a Serra da Barriga”, afirmou.

No segundo dia, representantes do movimento negro alagoano ministraram as palestras “Palmares, 100 anos de resistência”, “O negro na Bíblia” e “Violência e Etnicidade”, respectivamente, por Helcias Pereira (Anajô), Benedito Jorge (Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro) e Carlos Martins (União de Negros pela Igualdade / Unegro-AL). Também teve apresentação cultural do afoxé Dana Luna (Vila dos Pescadores de Jaraguá) e o cine-fórum África-Brasil, conduzido pelo Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô com a participação especial de Wagner Bijagó e Ismael Tcham – representantes dos acadêmicos africanos da Ufal.

Aprofundamento

O evento segue nesta semana com o aprofundamento dos temas nas salas de aula, além de destacar os pontos importantes e contribuições dos conteúdos em todas as disciplinas. E na quarta-feira (15), Dia dos Professores, terá o fórum especial com esses profissionais sobre as Leis Federal 10.639/03 e a Estadual 6.814/07 – obrigam a implementação da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana no currículo escolar – a atividade será administrada pelo Centro de Estudos e Pesquisa Afro-Alagoano Quilombo.

Segundo o estudante Robson Feliz Junior, 20, representante do Conselho Escolar da instituição, a temática afro sempre esteve presente e esse ano se fortaleceu. “O colégio nunca deixou de relatar a história de Zumbi, principalmente, no mês da consciência negra. Esse projeto é maravilhoso, o pessoal está empolgado para conhecer mais e espero que não seja apenas nesse ano, para que outros alunos também tenham acesso as informações”, ressaltou.
A atividade foi idealizada pelo professor de matemática Allex Sander Porfirio, que demonstrou a possibilidade de trabalhar as questões étnico-culturais em todas as disciplinas. Para a realização das atividades, a escola tem o apoio da 1ª Coordenadoria Regional de Ensino – SEE/AL; Companhia do Estudante; Instituto Galba Novais de Castro; Núcleo de Estudos sobre a violência em Alagoas e o Núcleo de Estudantes Africanos, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal); Comitê Gestor do PMQP; Afoxé da Vila dos Pescadores do Jaraguá; Agrupemba Ornamentação Artística; lojas Adventure e Altas Ondas; além das entidades convidadas para a explanação das informações.
 
 
                                                          
Entrevistados: Silviane Paula da Silva (aluna) / Heloisa Lima de Carvalho (professora) / Robson Félix Júnior (aluno)
 
 
Serviços
Evento: Pérola Negra Brasileira
Período: 10 a 16 de outubro
Realização: Escola Estadual Alberto Torres – Rua Cônego Costa Rego, S/N, Bebedouro
Contatos: (82) 3338-7008 / 8868-4838 / 8803-9930.
 
Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: