Arquivo

Archive for fevereiro \17\UTC 2009

CULTURA

17 de fevereiro de 2009 Deixe um comentário
 
 

Escolas de samba

 

Por: Helciane Angélica (*)

Jornalista / Presidente do Anajô / Integrante da Cojira-AL

 

 

A “Deixa Falar” foi a primeira escola de samba do Brasil, fundada em 18 de agosto de 1928, na cidade do Rio de Janeiro, estreou oficialmente no carnaval no ano seguinte. O termo “escola de samba” foi escolhido, porque na rua Estácio onde aconteciam os ensaios, havia uma Escola Normal, daí o nome.

Com o sucesso e a animação dos moradores da região, estimulou a criação de outras agremiações de samba; atualmente há escolas de samba em quase todos os estados brasileiros e em muitos países do mundo. Nas primeiras décadas, as escolas de samba não possuíam toda estrutura e organização como agora; eram organizadas de forma simples, com poucos integrantes e pequenos carros alegóricos. A competição entre elas não era o mais importante, mas sim a alegria e a diversão. Ultimamente, a luxuosidade, criatividade e modernidade são ferramentas essenciais que enaltecem principalmente as representantes do Rio de Janeiro e São Paulo, que se preparam durante um ano inteiro e movimentam milhões para a economia carnavalesca, além de atrair turistas de várias partes do Brasil e do planeta.

Em Maceió, existem cinco agremiações que enfrentam muitas dificuldades, mas não perdem o brilho e a alegria de mostrar seu trabalho. Este ano, tiveram verba garantida para a realização das atividades, após um convênio firmado com o governo de Alagoas. As escolas se apresentarão no sábado (21), às 20h, na Avenida da Paz, respeitando a seguinte ordem: Girassol, Arco-Íris, 13 de maio, Jangadeiros Alagoanos e Gaviões da Pajuçara – com 50 minutos cada uma, terão que percorrer o trajeto do Coreto em Jaraguá, até a curva do estacionamento, finalizando em frente ao prédio da Associação Comercial. A comissão julgadora ficará atenta a todos os detalhes, é composta por profissionais ligados ao carnaval indicados pela Secult e pela Liga das Escolas.

Vale a pena conferir!

 

 

Temática Afro

Nas noites 20 e 21 de fevereiro, no Sambódromo, desfilam ao todo 14 escolas de São Paulo; já no Rio de Janeiro são 12, que percorrerão a Marquês de Sapucaí, nas noites de 22 e 23. O samba-enredo é um dos quesitos utilizados no julgamento dos desfiles, deve retratar o enredo escolhido pela comissão de carnaval da escola. Com temas variados, abordam histórias diferenciadas, exaltam personalidades e destacam fatos importantes no desenvolvimento da humanidade, aliando diversão com conhecimento e também sensualidade. Porém, têm alguns deste ano que merecem destaque na Coluna Axé: "Uma nova Angola se abre para o Mundo! Em nome da paz, Martinho da Vila canta a liberdade!" (Tom Maior-SP); “Tambor” (Acadêmicos do Salgueiro-RJ); “A Mangueira traz os Brasis do Brasil, mostrando a formação do povo brasileiro” (Estação Primeira de Mangueira-RJ); “Vira Bahia, pura energia!” (Unidos do Viradouro-RJ). Enfim, é a riqueza afro… nos temas, na beleza das passistas, na qualidade do samba e na alegria do povo brasileiro!

 

 

 

(*) Material publicado na COLUNA AXÉ, jornal Tribuna Independente, 17 de fevereiro de 2009.

Categorias:Entretenimento

POLÍTICA

17 de fevereiro de 2009 Deixe um comentário
 

CPT-AL completa 25 anos de luta e serviços para as famílias camponesas

De 17 a 19 de fevereiro, trabalhadores e agentes participarão da 20ª Assembleia Estadual da Comissão da Pastoral da Terra de Alagoas, para debater sobre os avanços e desafios da instituição

 

 

 

Por: Helciane Angélica

Jornalista – MTE/AL 1102

 

 

            Direitos à terra, água e dignidade humana são os eixos de trabalho e bandeiras de luta da Comissão Pastoral da Terra, que atua desde 1975 e possui 21 regionais em todo o país. O estado de Alagoas aderiu ao movimento em 1984, investindo na formação política e técnica, além de contribuir para o desenvolvimento das famílias camponesas. Para comemorar e refletir sobre as ações executadas nos 25 anos da CPT-AL, acontecerá no período de 17 a 19 de fevereiro a 20ª Assembleia Estadual, na Barra de São Miguel, localizada a 36 km da capital alagoana.

            O encontro tem como tema “25 anos de serviço as famílias camponesas” e será realizado no Centro Catequético dos Irmãos Marista. Estarão presentes cerca de 130 trabalhadores oriundos do sertão, litoral, zona da mata e agreste alagoano, além de agentes e equipe técnica. De acordo com Carlos Lima, coordenador estadual da CPT-AL, a atividade servirá para a reflexão política e deliberativa, além de celebrar as bodas de prata da entidade. “É um momento importante para fazermos uma análise de conjuntura e construir as metas políticas. Desenvolveremos ao longo deste ano vários momentos celebrativos, na Feria Camponesa em junho e com atividades políticas principalmente nos municípios que temos forte atuação”, declarou.

No primeiro dia (17), terá pela manhã uma Missa de Ação de Graças direcionada ao aniversário e trabalhos desenvolvidos pela CPT-AL, que será presidida por Dom Antônio Muniz. Com a abertura da assembleia às 14h, será entregue o prêmio Dom Hélder Câmara, criado em 2002 para homenagear personalidades que apóiam a luta em defesa da reforma agrária no Estado, este ano a professora e líder sindical Lenilda Lima será agraciada. Posteriormente, terá uma mesa redonda sobre “Os desafios e as perspectivas da luta camponesa em Alagoas, a partir de uma leitura dos movimentos sociais do campo”, com a participação das lideranças Débora Nunes (MST) e Josival Oliveira (MLST), e será mediada por Carlos Lima.

Os participantes terão a oportunidade de trocar experiências e expor suas opiniões nos trabalhos em grupos, debates, plenárias, ao assistir documentários e na participação de um estudo bíblico e teológico sobre “O serviço evangélico, o testemunho e a missão da CPT”, que será ministrado por Thiago Torby, conselheiro da CPT-NE. Também acontecerá uma avaliação crítica sobre as ações do ano passado, e no final das atividades, será redigida e aprovada uma carta compromisso que norteará os trabalhos em 2009.

 

            Histórico

            A Comissão Pastoral da Terra em Alagoas faz parte da Regional Nordeste II (AL-PE-PB-RN) da CPT-Rede Nacional, é uma entidade sem fins lucrativos e de caráter ecumênica. Busca a transformação sócio-política, preza pelo respeito e a garantia dos direitos para os trabalhadores rurais.

A CPT de Alagoas iniciou suas primeiras assessorias e atividades com os cortadores de cana nas paróquias de Novo Lino, Colônia Leopoldina e União dos Palmares. No sertão, os trabalhos começaram com os posseiros na cidade de Água Branca.

Na década de 90 a CPT-AL começou a coordenar as ocupações de terras improdutivas e atualmente acompanha 15 assentamentos, 23 ocupações e 03 áreas de posseiros. Dentre as ações no Estado, destacam-se: o Natal dos camponeses; Feiras Camponesas; Romarias da Terra e das Águas; e o jejum de solidariedade.

Para fortalecer a luta, a instituição conta com parcerias importantes, como: Central Única dos Trabalhadores (CUT); Tribunal Regional do Trabalho (TRT); Movimentos camponeses; Comunidades Eclesiais de Base; Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP); dentre outros.

 

SERVIÇO

 

20ª Assembleia Estadual – Comissão Pastoral da Terra de Alagoas

Tema: 25 anos de serviço às famílias camponesas

Local: Centro Catequético dos Irmãos Marista – Barra de São Miguel/AL

Data: 17 a 19 de fevereiro de 2009

Contatos: (82) 9127-5773

 

 

CPT-AL

Endereço: Av. Dom Antônio Brandão, 559, Farol. CEP: 57021-190. Maceió/AL

Fone / Fax: (82) 3221.8600 / E-mail: pastoraldaterra@veloxmail.com.br

Blog: http://www.cptalagoas.blogspot.com

 

DIVULGAÇÃO

16 de fevereiro de 2009 Deixe um comentário

 

COJIRA-AL: Informes Afros

 

 

v 17/02 (terça-feira) – Igualdade Racial

A Secretaria da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos convoca a sociedade civil organizada que tenha participação ativa acerca deste tema, e os representantes das secretarias que compõem a comissão, para participarem de uma reunião no dia 17de fevereiro (terça-feira), às 14 h no auditório da Secretaria de Estado do Planejamento (ao lado da Secretaria da Mulher), na Rua Cincinato Pinto, Centro. Mais informações a respeito do evento: (82) 3315-1792 ou pelo email conferencia.coepir.alagoas@hotmail.com.

 

v 21/02 (sábado) – Escolas de samba

Em Maceió, existem cinco agremiações que enfrentam muitas dificuldades, mas não perdem o brilho e a alegria de mostrar seu trabalho. Este ano, tiveram verba garantida para a realização das atividades, após um convênio firmado com o governo de Alagoas. As escolas se apresentarão no sábado (21), às 20h, na Avenida da Paz, respeitando a seguinte ordem: Girassol, Arco-Íris, 13 de maio, Jangadeiros Alagoanos e Gaviões da Pajuçara – com 50 minutos cada uma, terão que percorrer o trajeto do Coreto em Jaraguá, até a curva do estacionamento, finalizando em frente ao prédio da Associação Comercial. A comissão julgadora ficará atenta a todos os detalhes, é composta por profissionais ligados ao carnaval indicados pela Secult e pela Liga das Escolas.  

v 27/02 (sexta-feira) – Oficina de capoeira

            As matrículas para a Oficina de Capoeira para o Centro de Belas Artes de Alagoas (Cenarte) estão abertas, das 9 às 15h, até o dia 27 de fevereiro de 2009. No dia 02 de março terá a aula inaugural. O processo seletivo resume-se a entrevista dos interessados, que devem levar a cópia do registro de nascimento e uma foto 3×4 – ao todo serão ofertadas 60 vagas, onde serão distribuídas em dias e horários diferenciados. O Cenarte fica na Rua Pedro Monteiro, 108, Centro, Maceió-AL.

 

Fonte: www.cojira-al.blogspot.com

 

Categorias:Informes

MUDANÇA?!

16 de fevereiro de 2009 Deixe um comentário
 
 

Ministro da Igualdade Racial reafirma compromisso de construção do acesso à Serra da Barriga

 


O ministro da Secretaria Especial de Políticas da Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República, Edson Santos, reafirmou o compromisso do governo federal de construir a estrada de acesso à Serra da Barriga, em União dos Palmares.

A informação foi dada à secretária da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, Wedna Miranda, nesta sexta-feira (13), em Brasília, durante o evento II Diálogo com os Estados, realizado pelo Fórum Intergovernamental de Promoção da Igualdade Racial com o propósito de debater a implementação de políticas públicas.

”A Serra da Barriga tem uma grande importância para o desenvolvimento da região e em épocas de chuva o local se torna inacessível aos veículos. Esse compromisso nos deixa feliz e deixa a esperança de que nas comemorações de 20 de novembro deste ano teremos facilidade de chegar à serra”, ressaltou a secretária.

Wedna Miranda sugeriu ao ministro que a próxima reunião de gestores estaduais de promoção da igualdade racial de todo país seja realizada na Serra da Barriga, momento que serviria também para apresentar o local para as autoridades.

A realização da II Conferência Nacional da Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial, que acontecerá de 25 a 28 de junho, em Brasília, assim como as conferências regionais e estaduais também foi pauta do encontro, em Brasília, que ainda reuniu gerentes de projetos e técnicos das áreas de saúde, trabalho, justiça, educação, habitação e acesso a terra.

Com o tema central "Avanços e Desafios Étnico-Social", a Conferência Estadual será realizada no dia 21 de maio e será coordenada pela Secretaria da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, com o objetivo de estabelecer diretrizes para a elaboração do Plano Estadual e avaliar a implementação do Plano Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, incluindo princípios e diretrizes aprovados na I Conferência Estadual e Nacional de Promoção, que aconteceu em Alagoas em fevereiro de 2005.

Antes da estadual, as conferências regionais irão acontecer em Delmiro Gouveia, no dia 16 de abril; em União dos Palmares, dia 23 de abril; Arapiraca, dia 30 de abril; e Maceió, dia 7 de maio.

Fonte: Agência Alagoas

Categorias:Serra da Barriga

FSM

5 de fevereiro de 2009 Deixe um comentário
 
 
Alagoanos ressaltam importância da participação no FSM e Conneb
 
 
 
Texto e fotos: Emanuelle Oliveira
Jornalista e integrante da Cojira-AL
 
 

A participação de homens e mulheres de Alagoas no Fórum Social Mundial (FSM) e no Congresso de Negros e Negras do Brasil (Conneb), entre os dias 27 de janeiro e 1° de fevereiro foi marcada por discussões que fortaleceram os movimentos sociais do Estado. O ônibus que levou a comitiva alagoana para Belém do Pará reuniu representantes da ONG Anajô, da Marcha Mundial das Mulheres (MMM), do Movimento dos sem terra (MST), da Comissão de jornalistas pela igualdade racial (Cojira/AL), do Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua, sindicalistas, entre outros, que vieram de vários municípios.

A coordenadora da MMM no Estado, Andréia Malta Brandão destacou a representação feminina no FSM, dizendo que todos os movimentos sociais que estiveram presentes buscam alternativas para construir um mundo melhor e que a Marcha não luta apenas pelo feminismo e sim, apóia outras causas, como o fim do neoliberalismo e do patriarcalismo, que segundo ela são bases do capitalismo, que exclui as pessoas.

"Reunimos cerca de 300 mulheres neste FSM e promovemos passeatas a favor da Palestina e do aborto, além de trocarmos experiências com companheiras de outros países, como Congo, França, Canadá, Argentina e Equador. Enquanto existir uma divisão sexual do trabalho não teremos liberdade e buscamos também apóio para as mulheres do Congo, que vivem submissas, são estupradas e mortas, durante a exploração dos recursos naturais daquele país. Vamos fortalecer as discussões em Alagoas, porque em 2010 a MMM vai realizar uma grande caminhada por São Paulo e Rio de Janeiro", contou Andréia.
 
 

Mulheres de Alagoas marcharam pelas ruas de Belém durante FSM

Segundo Maria Madalena da Silva – que foi delegada no Conneb e que faz parte da direção da ong Anajô – existe a necessidade do movimento negro alagoano realizar mais encontros, fortalecendo uma representação nacional, apesar de existir o Fórum de Entidades Negras de Alagoas (Fenal). "Foram indicados 10 delegados para o congresso em Belém, mas apenas 4 participaram. No Estado existem cerca de 50 entidades negras, mas em eventos nacionais sentimos um isolamento e precisamos sair dos guetos, principalmente porque representamos o berço dos quilombolas. Temos que realizar uma reunião com o Fenal para expor a situação", lamentou.
O professor Jorge Luís Riscado, que coordena o projeto Afroatitude, da Universidade Federal de Alagoas disse que sua experiência nas comunidades quilombolas serviu para entender a importância do congresso. "Nas comunidades de Palmeira dos Índios e Batalha as pessoas moram em casas de taipa afastadas da cidade, por isso falta educação e saúde. É preciso disseminar e fortalecer essa discussão e no Conneb isso foi possível".

Delegados alagoanos no Conneb: Maria Madalena (Anajô), Jorge Riscado (Afroatitude/Ufal) e Noelma Sandra (Unegro)
Já o Conneb, realizado simultaneamente ao fórum, contou com a participação de 250 delegados de entidades negras de todo o país, como a União dos Negros pela Igualdade (Unegro), o Movimento Negro Unificado (MNU), os Agentes de Pastoral Negros (Apns), o Conselho Nacional de Entidades Negras (Conen), entre outras. O próximo encontro será no Rio Grande do Sul, entre os meses de junho e julho deste ano.
FSM – dados gerais

A 8° edição do Fórum Social Mundial (FSM) reuniu 133 mil participantes de 142 países, entre eles 4.500 comunicadores credenciados, dos quais dois mil eram jornalistas, os mil artistas que se apresentaram em atos culturais e mais de 10 mil que trabalharam na organização, alimentação e em outros serviços, contando ainda com a presença de 1.900 indígenas de 190 etnias e 1.400 quilombolas (afrodescendentes de comunidades tradicionais), que levaram para o evento discussões e celebrações próprias. A próxima edição será em 2011, no continente africano.
 
 
 
 
 

SEPPIR

5 de fevereiro de 2009 Deixe um comentário
 
 

Ministro da Igualdade Racial participa de assembléia do Conneb em Belém (PA)

 

Descontraído sem terno e gravata, Edson Santos esbanjou simpatia ao tirar várias fotos com os participantes do Conneb.
Foto: Emanuelle Oliveira /Cojira-AL

 
Aproveitando sua presença no Estado do Pará para as atividades do Fórum Social Mundial, o ministro da Igualdade Racial, Edson Santos, participou no último sábado (31/01) de assembléia do Congresso de Negras e Negros do Brasil (Conneb), realizado no auditório do Gasômetro, no centro de Belém. Estavam presentes representantes de mais de 30 entidades do movimento negro, reunidas sob o lema “Construindo o projeto do povo negro para o Brasil”.

Em sua intervenção, o ministro inicialmente saudou a realização do Congresso e lamentou a “secundarização do debate sobre a população negra no Fórum Social Mundial”, o que ele atribui à “histórica invisibilidade da questão racial no Brasil”. Na sequência o ministro contextualizou a atual situação do segmento negro, apontou os avanços e perspectivas e participou de um debate com os participantes, no qual foi questionado, principalmente, sobre os motivos da morosidade da titulação de terras das comunidades remanescentes de quilombos.

Titulações

Reafirmando o compromisso do presidente Luís Inácio Lula da Silva com a titulação das terras e o atendimento das comunidades quilombolas pelos programas sociais do Governo Federal, o ministro apresentou algumas dificuldades que se apresentam para acelerar a regularização fundiária das áreas quilombolas. Dentre as quais se destacam as ações de inconstitucionalidade contra as titulações apresentadas ao Supremo Tribunal Federal pelo partido Democratas, o recrudescimento da violência promovida no campo por latifundiários e a falta de quadros técnicos do Incra para a elaboração dos Relatórios Técnicos de Identificação e Delimitação.

Ele lembrou que o Governo Federal recentemente reformulou a Instrução Normativa que regula a aplicação do decreto 4.887 (que regulamenta o processo de titulação definitiva das terras quilombolas), a partir da consulta realizada junto às lideranças das comunidades quilombolas, conforme determina a Organização Internacional do Trabalho. O objetivo, de acordo com o ministro, foi garantir legitimidade e dar maior segurança jurídica aos relatórios técnicos de identificação e delimitação das terras quilombolas.

Sobre o Incra o ministro acrescentou que “existiram avanços no órgão em relação à questão, como a criação de uma Coordenação de Quilombos encarregada de dialogar com as 28 superintendências regionais do Incra em todo o país. Mas é preciso fazer ainda mais. Neste sentido, estamos dialogando com o Incra para estabelecer as prioridades de 2009, além de redefinir recursos para indenizações por desapropriações e para a contratação de técnicos. Bem como mediar conflitos como os que hoje existem, por exemplo, em São Francisco do Paraguaçu (Bahia), Marambaia (Rio de Janeiro), Alcântara (Maranhão) e Linharinho (Espírito Santo)”.

Sobre o Conneb

Durante a Assembléia Nacional de Entidades Negras realizada em janeiro de 2007, no Rio de Janeiro (RJ), com a participação de 104 entidades do movimento negro, foi convocado o Congresso de Negras e Negros do Brasil. A primeira plenária, que deu início ao processo organizativo, foi realizada em abril daquele mesmo ano em Belo Horizonte (MG). Foi definido que o Conneb se realizaria como um processo de debates, através de seminários estaduais de militância e de comunidades, cujas deliberações seriam submetidas a quatro plenárias nacionais. A primeira destas assembléias foi realizada em São Paulo (SP) em outubro de 2007. A assembléia de Belém foi uma das duas etapas intermediárias, a qual se soma a assembléia de Porto Alegre (RS). E a última será realizada em Salvador (BA) ainda durante o ano de 2009. A coordenação nacional é formada por entidades negras de âmbito nacional, como MNU, Conen, Unegro, APN’s, FNMN e Coneq, às quais se agregam outras entidades locais e regionais.

DIVULGAÇÃO

3 de fevereiro de 2009 Deixe um comentário
 
 
Cojira-AL: Informes Afros
 
 
 
02/02 (segunda-feira) – Dia de Combate à Intolerância Religiosa em Alagoas

A data é o dia de Iemanjá e também ressalta os acontecimentos históricos no ano de 1912, quando várias casas de axé foram destruídas e praticantes foram perseguidos – o fato é conhecido como Quebra de Xangô.


* O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB/UFAL) convida toda sociedade alagoana para o lançamento do livro “Kulé-Kulé IV: Religiosidades”, às 17h, no museu Théo Brandão.

* Também a partir das 17 h, haverá o ato "Xangô Rezado Alto – Fomento a integração das casas de axé", na praça 13 de Maio, no Poço, onde já existe uma estátua de Mãe Preta no local. Velas serão acesas simbolizando pedido de paz e de intolerância religiosa. Em seguida, haverá um cortejo afro-religioso pelas ruas de Maceió até a Praça Sinimbu, contrapondo-se ao ocorrido em 2 de fevereiro de 1912.
 
06/02 (sexta-feira) – Ensaio
 

Acontecerá a partir das 19h, terá o 2º Batucão do Baque Alagoano, a concentração será na praça Marcílio Dias na praia da Avenida e segue em cortejo pela praça Raiol em direção ao Largo dos Pombos (fundos do mercado do Jaraguá). Todos estão convidados a prestigiar e batucar junto com o grupo percussivo.

 

07/02 (sábado) – Oficina de Pandeiro

A atividade que acontecerá das 12 às 17h, será coordenada pelo músico Wilson Santos. Serão duas turmas, uma para os iniciantes e a outra para os avançados. Investimento: R$ 25,00. Mais informações: (82) 8871-0627.

09/02 (segunda-feira) – Reunião



A Secretaria da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos convoca a sociedade civil organizada que tenha participação ativa acerca deste tema, e os representantes das secretarias que compõem a comissão, para participarem de uma reunião no dia 09 de fevereiro (segunda-feira), às 14 h no auditório da Secretaria de Estado do Planejamento (ao lado da Secretaria da Mulher), na Rua Cincinato Pinto, Centro, para que se faça a eleição dos representantes da sociedade civil que farão parte da comissão organizadora estadual. Mais informações a respeito do evento: (82) 3315-1792 ou pelo email conferencia.coepir.alagoas@hotmail.com.

 

Fonte: www.cojira-al.blogspot.com

Categorias:Informes