POLÍTICA

 
 

Entidades negras realizam Conneb durante FSM

 

Texto e fotos: Emanuelle Oliveira
Jornalista / Integrante da Cojira-AL
Com o tema: Projeto Político do povo negro para o Brasil, o Congresso nacional de negros e negras do Brasil – Conneb, reuniu nos dias 29, 30 e 31 cerca de 250 delegados de entidades de todo o país, inclusive de Alagoas, no auditório do Gazômetro (Palácio da Residência). O evento foi realizado simultaneamente ao Fórum Social Mundial (FSM) 2009.

O ministro da igualdade racial, Edson Santos foi um dos palestrantes e ressaltou a importância da criação de condições para dar maior visibilidade aos negros no Brasil, que esperam a aprovação do Estatuto da igualdade racial, que tramitou cerca de 10 anos no Congresso Nacional e que atualmente está no Senado.

“O FSM precisa transmitir uma mensagem de solidariedade e buscar a construção de um mundo sem racismo. No Ministério temos desenvolvido ações de políticas públicas e cumprido uma agenda social voltada para as comunidades quilombolas. Em relação a elas o Incra e o responsável pela demarcação das terras”, explicou Edson Santos.
O delegado do Centro Cultural Candido Velho, do Rio Grande do Sul, Luiz Mendes criticou a falta de apoio do governo do para a realização do Conneb e reconheceu que apesar das dificuldades para reunir as entidades de todo o país o congresso atingiu seu objetivo, visto que as entidades promoveram encontros regionais que deram base para este grande encontro. Ele criticou ainda, a falta de apoio da mídia na luta pelo fim do racismo.

“A região sul tem um dos maiores índices de racismo e imaginam que lá não existem negros, mas representamos 20% da população e temos cerca de 100 entidades no estado, além de sermos responsáveis por grandes articulações nacionais. Também temos grandes líderes, como o senador Paulo Paim e lutamos por uma reforma política para o empoderamento dos negros. Falta apoio do governo federal para a aprovação do estatuto, porque a elite branca não quer e já realizamos muitas manifestações, só que a Rede Globo controla os espaços de poder e não mostra isso”, informou Luiz Mendes.

Já Flavio Jorge, que é de São Paulo e faz parte do Conselho Nacional de Entidades Negras disse que a ideia de realizar o Conneb durante o FSM 2009 foi uma forma de dar visibilidade mundial ao movimento. “Nossa entidade reúne empresários, pesquisadores, políticos e mulheres negras com o objetivo de colocar em xeque o mito da democracia racial, reconhecendo que o pais é racista. Conquistamos muitas coisas, como o título de terras quilombolas e a aprovação da Lei 10.639, que institui o ensino da história dos negros no Brasil e na África e agora queremos que a reforma política nos incorpore aos partidos”, ressaltou.

 
Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: