Inicial > Movimento negro > ARTICULAÇÃO

ARTICULAÇÃO

Entrevista: Carlos Henriques da Silva – CONEN

 

A Coordenação Nacional de Entidades Negras (CONEN) foi um dos pontos de pauta da assembleia do Fórum de Entidades Negras de Alagoas (Fenal) realizada no dia 09 de abril. O objetivo foi debater a importância da participação alagoana e conhecer a agenda política da instituição de respaldo nacional.
A entidade nacional esteve representada pelo integrante Carlos Henriques da Silva, que também é coordenador do Grupo Malungus na Paraíba. Atualmente, a Conen encontra-se presente em todas as capitais brasileiras e em Alagoas buscam restabelecer a comunicação e fortalecer o estado nas mobilizações nacionais.
Confira abaixo a entrevista que a jornalista Helciane Angélica – presidente do Anajô, integrante da Cojira/AL e editora da Coluna Axé – realizou com o representante da CONEN.

1. Qual a importância da rearticulação da CONEN em Alagoas?

Carlos Henriques: A CONEN sempre veio a Alagoas, atendendo o chamado da militância histórica do movimento negro a exemplo de Helcias Pereira e Zezito Araújo e alguns outros, que são expoentes do movimento nacional, especialmente de Alagoas, e nós tivemos alguns momentos aqui. Para nós da CONEN é de importância ímpar, participarmos desse momento histórico de retomada das ações do Fenal e torcemos para as organizações que participam dela, de fato, façam desse fórum um espaço de discussão teórica e decisão política para beneficiar a nossa comunidade negra de Alagoas, quiçá do país.

2. O Fenal ainda não é filiado ao CONEN?

Carlos Henriques: O Fenal não é filiado. Mas existem algumas organizações que participam do Fenal e estão interessadas no CONEN e estão se filiando nesse momento. Daí, a minha vinda para cá, para que se possa levar essa demanda para a discussão com a Direção Nacional.

3. Quais foram os objetivos desse primeiro encontro em 2009, entre a CONEN e o Fenal?

Carlos Henriques: Além de fortalecer o vínculo, nossa missão é também falar um pouco da nossa agenda política tanto nacional como as relações internacionais. Falar um pouco das discussões que estamos travando a nível de América Latina, reunindo todos os quilombos negros para o combate ao racismo e esse modelo político econômico excludente.

4. A CONEN é constituída por fóruns estaduais?

Carlos Henriques: Não é a filiação de fóruns. A base da CONEN tem essa denominação de fóruns de entidades negras nos estados, foi uma deliberação do 1º Encontro de Entidades Negras ocorrido no Pacaembu em São Paulo, em 1991. Agora, nos estados possui entidades, grupos de maioria negra que tem como missão a luta pelos direitos do povo negro nos aspectos sociais, políticos, econômicos e culturais.

5. Em termos de quantidade, quantas entidades estão filiadas na CONEN?

Carlos Henriques: A CONEN está em todos os estados do país, e ela reúne hoje aproximadamente mais de 400 entidades. O processo de filiação é permanente, porque sempre há estados nos convidando para ir lá e discutir com as entidades interessadas, que tocarão a política na base.
6. Daqui para frente, o que a CONEN pretende fazer e contribuir para o movimento negro alagoano?
Carlos Henriques: Primeiro, a agenda política da CONEN passa pela defesa da aprovação de cotas e o estatuto da igualdade racial, assim como, na luta pela manutenção do Decreto que garante o título coletivo das terras às comunidades negras quilombolas, e hoje na Câmara há uma bancada ruralista (fazendeiros e latifundiários) que insiste em alterar o decreto do presidente Lula, que garante a regulamentação do Artigo 68 da Constituição Federal.

7. Em termos práticos, quais serão as ações em Alagoas?

Carlos Henriques: Nós vamos levar as demandas das entidades interessadas para a reunião da Direção Nacional, lá será decidido o que var ser realizado. Então, vamos avaliar as entidades, saber como elas são?; de que forma se dar a sua atuação?; em que campo atua?, se é uma organização que atua em políticas gerais?, se é somente com crianças, quilombolas, mulheres, juventude, educação, saúde… Enfim, tudo será levado para a Coordenação Nacional e a gente vai definir o que contempla para as demandas daqui. Mas, quem tem que dizer realmente são as entidades interessadas.
Anúncios
Categorias:Movimento negro
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: