SHOW

Olodum atrai multidão para a Serra da Barriga

 

A banda afro encerrou a primeira fase do projeto sociocultural promovido pela Fundação Sônia Ivar em parceria com a Fundação Cultural Palmares/Ministério da Cultura

Texto e fotos: Helciane Angélica
Jornalista / Integrante da Cojira-AL / Presidente do Anajô

Cerca de 3 mil pessoas se deslocaram no domingo (19) até a Serra da Barriga localizada no município de União dos Palmares, para prestigiar mais uma edição do projeto sociocultural no Parque Memorial Quilombo dos Palmares, que é promovido pela Fundação Sônia Ivar em parceria com a Fundação Cultural Palmares/Ministério da Cultura.

Na programação destacou-se a integração entre capoeiristas baianos e alagoanos em uma grande roda de capoeira. Participaram dessa atividade, integrantes do grupo Besouro Mangangá (BA) coordenado pelo músico, compositor e publicitário Tonho Matéria, e representantes de grupos locais como: Berimbau Dourado (Murici), Pôr do Sol dos Palmares (São Luís do Quitunde), Centro Cultural Quilombo dos Palmares (Maceió e Serra da Barriga); e grupos de União dos Palmares – Muzenza, Candeias, Negaça, Guerreiros de Aruanda, Capoeira Palmares e Raízes de Zumbi.

Porém, muitos foram até lá para conferir de perto os principais hits da banda afro Olodum. A banda de renome internacional, é um exemplo de popularidade e durante toda a sua carreira influenciou na formação de vários grupos alagoanos, em outros estados e países. Atualmente, é formada por 18 músicos: dois cantores, dez percussionistas, três metais, um guitarrista, um tecladista, um baixista, e os vocais Lucas Di Fiori e Nadjane Souza.

Zulu Araújo, presidente da Fundação Cultural Palmares, ao subir no palco fez agradecimentos às instituições parceiras e ressaltou que o projeto não realiza apenas shows artísticos, e sim, oficinas e cursos que estão ajudando na geração de emprego e renda, além de garantir a capacitação para o turismo étnico.

"Tem muita gente que é contra essas atividades daqui, e vocês que estão aqui precisam dizer que a Serra está limpa e tem atividades funcionando. Quero agradecer a todos os parceiros neste evento e principalmente os alunos do curso de turismo étnico, que precisam apresentar a Serra para o mundo, o maior patrimônio histórico do Brasil e também falar da importância do Parque Memorial Quilombo dos Palmares", declarou Zulu.

Para garantir a ordem pública e a segurança do local, trabalharam 40 homens do 2º Batalhão da Polícia Militar e nove agentes florestais. De acordo, com o tenente Carvalho, normalmente os eventos no solo sagrado são tranquilos, pois até agora não foram registradas ocorrências de prisões.

Na contra-mão


Também supreendeu a quantidade de pessoas que foram apenas por “oba oba”, ou seja, com o intuito de bebidas e azaração, não aproveitando também a oportunidade para contemplar cada trecho do patrimônio histórico, paisagístico e cultural.

No final das atrações, era visível o acúmulo de lixo no solo sagrado, mesmo tendo profissionais nos serviços gerais e catadores de latinhas; também teve um casal de namorados que insistia em transformar uma das placas informativas em encosto. Além disso, o fato que recebeu mais críticas tanto de militantes e turistas, inclusive, pessoas do exterior, foi a utilização de alguns espaços temáticos como uma das ocas e o Muxima dos Palmares (palácio) para o apoio dos artistas, no qual impossibilitou a entrada dos visitantes. Nesses espaços, foram instalados os camarins com sofá, cadeiras de plástico, toalhas, espelho, lanche e até banheiros químicos.

A estudante portuguesa de educação física, Joana Sofia Lins, participou de uma excursão organizada por uma entidade do movimento negro alagoano, com o objetivo de conhecer a história do Quilombo dos Palmares e também para curtir o show da banda conhecida mundialmente. "Eu adorei conhecer tudo na Serra da Barriga e o show, mas sinceramente eu acho mal ter que utilizar as instalações para fazerem de camarim, acho que poderiam utilizar uma estrutura anexa para fazer isso. A gente foi conhecer os espaços e estavam tudo ornamentado e não tinha nada haver com os ocupados", disse.

Continuidade

O projeto sociocultural no Parque Memorial Quilombo dos Palmares iniciou em outubro do ano passado, com a execução de shows, oficinas e cursos. Ao todo, foram formados 275 jovens em cursos de capacitação com carga horária de 40h. Para este ano serão investidos 331 mil reais em várias áreas de formação e capacitação na Serra da Barriga, além de 317 mil para a manutenção do Parque Memorial.

As atividades retornarão no segundo semestre, após o período rigoroso de chuvas que impossibilita a presença de visitantes no platô, porém já foi confirmada a verba federal no valor de R$ 4.200.000 para a pavimentação do acesso.
Anúncios
Categorias:Serra da Barriga
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: