Arquivo

Archive for janeiro \27\UTC 2010

TAMBOR FALANTE

27 de janeiro de 2010 Deixe um comentário

Censo e Periferia


Por: Helciane Angélica – jornalista

Infelizmente,
o racismo tem se escondido em discursos “sutis” e encontra-se presente
em nosso cotidiano. É comum ouvirmos as pessoas chamarem negros de
“moreninhos”, como se fosse mais “aceitável” ou menos “feio” para a
pessoa. Além disso, ainda tem as piadinhas “inocentes” que só ajudam a
consolidar uma cultura inconsequente e que acredita na “democracia
racial”, ou seja, extremamente contrárias as ações que promovam o
respeito e a garantia de direitos aos diferentes.

Os
afrodescendentes (negros e pardos) são a maioria no país com 50,6% da
população, mas tem muita gente espalhada por esse mundão que tem
vergonha de suas origens, e o que ainda pior desconhece sua própria
história. O Censo 2010 irá avaliar a realidade dos brasileiros, e em
cada residência os entrevistados responderão um extenso questionário,
inclusive, sobre a cor da pele, etnia, crença religiosa e opção sexual.

O
Tambor Falante – ciclo de debates fortalece a reflexão crítica sobre a
pesquisa demográfica que acontecerá em toda a América Latina, é uma
iniciativa do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô em parceria com
a Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial em Alagoas (Cojira-AL)
e a Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro. Desta vez,
abordará o tema “Censo 2010 – Negritude e Periferia”, e o local
escolhido para a quinta edição do projeto foi a comunidade que vive ao
lado do lixão de Maceió.

A concentração para o evento será
às 14h na sede do Ponto de Cultura Guerreiros da Vila/Centro de
Educação Ambiental São Bartolomeu (Ceasb), em seguida, os participantes
seguirão em caminhada até o espaço cultural da Vila Emater II
localizada no Sítio São Jorge onde serão executadas as trocas de
opiniões, propostas e experiências. Mais informações sobre o evento:
(82) 9119-5730 / 8893-9495 / 9999-1301.

O objetivo é ampliar
a discussão junto com os diversos segmentos afros, além de garantir a
conscientização sobre a importância dos dados coletados e
contabilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
(IBGE), que posteriormente podem servir de subsídio na elaboração de
políticas públicas adequadas aos diversos segmentos sociais.

Os
moradores das periferias são secularmente vítimas da marginalização, há
locais que nem os agentes de endemias conseguem entrar, devido ao forte
tráfico de drogas ou por puro preconceito. Será que os recenseadores
conseguirão aplicar a pesquisa nesses locais? E as pessoas que moram
nas tribos indígenas, comunidades quilombolas e assentamentos da
reforma agrária estão esclarecidas sobre o censo e serão realmente
ouvidas? E os que irão aplicar os questionários estão preparados?!
Continuaremos pensando sobre o assunto e buscando novos avanços. Axé!

Fonte: Coluna Axé / Tribuna Independente – 26.01.10

Categorias:Sem categoria

PARCERIA

22 de janeiro de 2010 Deixe um comentário
  

Anajô e Prefeitura de União dos Palmares   


                    Na
última quarta-feira (13), diretores do Centro de Cultura e Estudos Étnicos
Anajô estiveram em União dos Palmares para uma audiência com os secretários
municipais de Cultura e Turismo, respectivamente, Elson Davi Cardoso e Izabel
Gomes. O encontro serviu para apresentar slides sobre a história e ações
desenvolvidas pelo grupo no Estado, principalmente, o projeto Palmares in loco
onde se pretende ampliar o roteiro turístico-cultural.

                    Na ocasião, também foi
discutida a possibilidade de ampliar o número de eventos no município, além de
efetivar uma integração entre a Prefeitura e o Anajô, instituição que faz parte
do movimento negro alagoano e integra o quadro de entidades associadas aos
Agentes de Pastoral Negros do Brasil. Ficou determinada a necessidade de um
novo encontro neste mês para discutir o orçamento dos projetos e que tipo de
apoio pode ser oferecido. Essa parceria promete boas ações.

Categorias:Anajô

CENSO 2010

12 de janeiro de 2010 Deixe um comentário


Por: Helciane Angélica


Jornalista, integrante da Cojira-AL e Presidenta do Anajô

No
sábado (09.01) aconteceu mais uma edição do Tambor Falante – ciclo de
debates, projeto implantado exatamente há um (1) ano. O
tema escolhido foi “Censo 2010 – Assuma a sua negritude!”,
discutiu-se a necessidade da pesquisa demográfica, a importância dos
dados estatísticos, além da elaboração de propostas que garantam a
sensibilização da população afro-descendente e também dos recenseadores
do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A atividade ocorreu na Igreja Batista do Pinheiro em Maceió e estiveram
presentes integrantes das entidades proponentes: o Centro de Cultura e
Estudos Étnicos Anajô, Pastoral da Negritude da Igreja Batista do
Pinheiro e a Comissão dos Jornalistas pela Igualdade Racial em Alagoas
(Cojira-AL), além de
moradores da Vila Emater, a estudante africana de Guiné Bissau, Glória
Intchami e o pesquisador José Bezerra da Silva, ambos da Universidade
Federal de Alagoas (Ufal).


Na ocasião, a jornalista Valdice Gomes – presidente do Sindjornal e
integrante da Comissão Nacional dos Jornalistas pela Igualdade Racial
(Conjira) foi convidada para ser a facilitadora do debate e destacou a
importância do Censo, além de informar sobre as mobilizações para garantir a sensibilização da população em toda a América Latina por meio de documentários televisivos e campanhas publicitárias para realizarem a auto-declaração em relação à cor, etnia, religião e opção sexual.


Diante disso, o movimento negro alagoano inspirado na campanha
nacional “Quem é do axé diz que é” lança também a campanha “Assuma a
sua negritude”, uma mobilização empenhada no esclarecimento da
população local sobre as consequências de informações levianas e/ou
equivocadas no ato do questionário, além de incentivar a identidade
étnica.

A próxima edição já está agendada para o dia 30 de janeiro a partir das 14h, e o tema segue a mesma linha reflexiva: “Censo 2010 – Negritude e Periferia”.
A mobilização in loco acontecerá na sede do Centro de Educação Ambiental São Bartolomeu
(Ceasb) e na Vila Emater no Sítio São Jorge, com pessoas que moram ao
lado do lixão e lideranças de outras áreas da periferia da capital
alagoana.

Além disso, a implantação de uma comissão executiva irá
providenciar os devidos encaminhamentos, como: a articulação de uma
audiência com os coordenadores do IBGE-AL para suprimir algumas dúvidas
e entregar oficialmente as propostas definidas, como: promover ações
midiáticas; realizar seminários com estudantes, professores e
quilombolas; dentre outras ações.


Fonte: Confira a matéria completa no blog da Cojira/AL (www.cojira-al.blogspot.com), as informações também foram publicadas na Coluna Axé do jornal Tribuna
Independente (12.01.10). Confira as fotos do evento em nosso álbum.

Categorias:Movimento negro

TAMBOR FALANTE

9 de janeiro de 2010 1 comentário

Neste sábado, ativistas discutem recorte
étnico no Censo 2010

O projeto Tambor Falante
– Ciclo de Debates existe há um ano, busca ampliar a discussão sobre assuntos
ligados
às questões étnicossociais e a integração do movimento negro alagoano

 

Por: Helciane Angélica

Jornalista, integrante da Cojira/AL e presidenta do Anajô

 

 

O Tambor
Falante – Ciclo de debates
visa articular encontros periódicos entre
lideranças dos segmentos afros, educadores e formadores de opinião para discutir
temas diversos e, também, propor uma nova maneira de participação na
continuidade da luta e organização do povo afro-brasileiro
. Acontece nesse sábado (09.01) mais uma edição
a partir das 15h, na Igreja Batista do Pinheiro em Maceió, e abordará o tema: “Censo 2010 – Assuma a sua negritude”.

Tem como principal objetivo promover a troca
de opiniões, relatos de experiências e discutir propostas que possam ser transformadas
em produções bibliográficas e principalmente que contribuam para a promoção de
políticas públicas. De acordo com o ativista e idealizador do projeto, Helcias
Pereira,
o ciclo de debates visa
fomentar a reflexão crítica e a transformação da realidade. “Buscamos provocar, articular e estimular a
consolidação de novas ideias, ações e realizações em favor do povo
afro-alagoano e a sociedade em geral
”. Informou ainda que: “n
ão
é necessariamente um encontro de delegados e representantes negros, e sim, de amigos
e pessoas interessadas em discutir temas importantes
”,
afirmou.

O tema escolhido para este
novo encontro foi definido em novembro, durante o seminário “Identidade étnica
no Censo 2010 e a responsabilidade social da mídia” realizado pela Comissão de
Jornalistas pela Igualdade Racial em Alagoas (Cojira-AL) que comemorava o seu
segundo ano de atuação. Busca ampliar a
discussão sobre a pesquisa demográfica de 2010, além de elaborar propostas para
garantir a sensibilização
da população afro-descendente e também dos recenseadores
do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No Censo Demográfico que acontece
a cada 10 anos é essencial conhecer a realidade da população e as mudanças de
hábitos e comportamentos. Todos os domicílios do país serão visitados e os
entrevistados responderão um extenso questionário, inclusive, sobre a cor da
pele, etnia, opção religiosa e sexual. Atualmente, existe uma rede formada por instituições
de vários países comprometidas com a divulgação e preocupação em relação ao
recorte racial, pois até 2012 será executado em toda a América Latina.

Para facilitar a discussão, foi
convidada a jornalista Valdice Gomes
que é presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Alagoas
(Sindjornal) e integrante da Comissão Nacional de Jornalistas pela Igualdade Racial
(Conjira), órgão consultor da Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj). A atividade
é aberta ao público

 

Histórico

O projeto inovador surgiu timidamente e depois
foi organizado de forma coletiva e independente. Dentre os temas já discutidos
estão: A importância da Lei 10.639/03; Questões raciais e de gênero; e Intolerância
religiosa.

 A ação
é promovida pelo Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô, a Comissão de
Jornalistas pela Igualdade Racial em Alagoas (Cojira-AL) e pela Pastoral da
Negritude da Igreja Batista do Pinheiro. As três entidades já promoveram outras
ações conjuntas e buscam fortalecer o movimento social negro, além de investir
na consciência sócio-política dos alagoanos.

 

 

SERVIÇO

Tambor Falante – Ciclo de Debates

Tema:
Censo 2010 – Assuma a sua negritude!

Dia:
09/01/2010 (sábado)

Local:
Rua Miguel Palmeira, nº 1300, Pinheiro. Maceió-AL.

Horário: 15h

Contatos: 8893-9495 (Helcias) / 9999-1301 (Valdice) / 9119-5730 (Jorge)

Categorias:Movimento negro

CONVITE

4 de janeiro de 2010 Deixe um comentário
Categorias:Movimento negro