Arquivo

Posts Tagged ‘APNs-30 anos’

Anajô/APNs participa do Saruê Palmares

17 de novembro de 2013 Deixe um comentário
XirêdoTempo

Xirê do Tempo

A programação afro-cultural no mês da consciência negra na capital alagoana será em grande estilo. No dia 19 de novembro, na histórica Praça dos Palmares localizada próximo ao Calçadão do Comércio, terá o SARUÊ PALMARES com várias apresentações artísticas, oficinas e exposições.

Trata-se de uma realização da Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), que busca colaborar para o fortalecimento do segmento da cultura afrobrasileira e está alinhada com as metas previstas no Plano Municipal de Cultura.

O Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô – entidade vinculada aos Agentes de Pastoral Negros do Brasil – marcará presença no evento com a exposição Xirê do Tempo, que foi uma dos atrativos da celebração dos 30 anos dos APNs. São utilizados seis(6) banners informativos com suporte de ferro, que ficam posicionados em formato de círculo e com decoração complementar: tecido, peças de cerâmica, cestaria e folhagens. No conteúdo, tem informações sobre a atuação dos APNs ao longo das três décadas de existência, atuação política e atividades desenvolvidas.

Confira abaixo a programação geral:

734446_10200124297670818_889108172_n

CARTA MENSAL: JULHO/2013

18 de julho de 2013 Deixe um comentário

APNs-30anos

 

São Paulo, 01 de Julho de 2013

Malungos e Malungas,
Companheiros e Companheiras de Fé e Luta!

Com a proximidade da III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial (III CONAPIR) evento convocado pela Presidenta Dilma Rousseff, que acontecerá em Brasília entre 5 e 7 de novembro, as bases do Movimento Social Negro e as próprias organizações governamentais afeitas à Promoção da Igualdade Racial se mobilizam pelo País afora não só para montar as varias delegações mas para avaliar e refletir sobre a política de Ações Afirmativas em especial nestes dez anos de governo onde o ponto central tem buscado ser a Democracia e o Socialismo.

Não podemos negar os importantes avanços que o Brasil acumulou nos últimos oito anos, em diversos campos do desenvolvimento social, além de importantes instrumentos no combate ao racismo e na formulação de políticas como a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR); o Conselho Nacional de Promoção de Igualdade Racial (CNPIR) a realização das duas últimas Conferências Nacionais e os inúmeros conselhos e departamentos executivos nos Estados e Prefeituras.

O desafio imposto ao Governo brasileiro é dar conta da implementação dos Planos e Programas frutos das conferências, encontros, debates.

Nossa função enquanto entidade do movimento negro nacional é não só propor ações e políticas, mas acompanhar de forma critica e dialógica a execução das agendas.

O Brasil passa por um momento novo, após as mobilizações sociais dos últimos dias, o despertar das ruas, pautou os políticos e redefiniu as ações programáticas para que o país avance.
O tema central da III CONAPIR “Democracia e Desenvolvimento por um Brasil afirmativo, sem racismo”, deve significar para nós, ampliar as fronteiras da cidadania para além dos limites consagrados pelo privilégio, impostos por injustiças sociais e econômicas.

Malungos e Malungas,
Os Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) nasceu grande e segue forte por essas três décadas ajudando o conjunto da sociedade a pensar um novo Brasil. E assim vamos seguir por mais tempo.
Por conta dos 30 anos dos APNs ao longo deste ano, devemos sim celebrar nos vários espaços mas devemos também criar ambientes de avaliação e reconhecimento da nossa importância juntamente com o movimento negro no combate ao racismo e na construção das políticas públicas, contradizendo a visão de que é dividido, de que não produz resultados. O movimento negro não deve ter a marca de ineficiente, pois perseguir a radicalização da democracia é o principal veio para garantir a igualdade.

No axé e na esperança!

Nuno Coelho
Coordenador Nacional

Carta aos membros do Mocambo Anajô

8 de julho de 2013 Deixe um comentário

Anajô - APNs

CARTA AOS ASSOCIADOS DO CENTRO DE CULTURA E ESTUDOS ÉTNICOS ANAJÔ/APNs-ALAGOAS

Prezado (as) Malungos (as)

Neste último biênio nós que fazemos o ANAJÔ nos empenhamos efetivamente junto a outros malungos (as) local e nacional na construção, mobilização e execução da celebração de homenagem dos 30 ANOS aos Agentes de Pastoral Negros do Brasil – APNs. Nossa participação aconteceu de forma efetiva, absolutamente impar e inquestionável.

Sabemos dos grandes desafios que enfrentamos antes, durante e depois, das tantas dificuldades que nos condicionaram a vivenciar experiências para a vida. Digo que nosso empenho coletivo e individual, bem como nossa disponibilidade de tempo e bens pessoais como carros, acolhidas e aportes financeiros, se constituiu verdadeiramente em um investimento histórico para nós e para nossa organização institucional.

Demonstramos na prática que nossa entidade, considerando algumas limitações naturais e compreensíveis de alguns membros, é constituída de pessoas responsáveis, igualmente comprometidas com sua organicidade, e isso, dimensionou o ANAJÔ/APNs, eu diria, nacionalmente e internacionalmente, pois, cada malungo APN advindo dos Estados, voltou com a certeza de que fizemos o melhor, de que lutamos para conseguir cada item da estrutura oferecida, e isso também requer que não nos esqueçamos dos grandes parceiros que fizemos, seja: nos municípios apoiadores, nas instâncias Governamentais do Estado (local e federal), empresas e ONGs parceiras, faculdades, universidade, e é claro, dos amigos (as) e parlamentares comprometidos (as) com a nossa causa. Por fim, considerando que os APNs hoje estão diretamente envolvidos na organização do Afro-Madri que será um grande acontecimento na Espanha em 2014, nos coloca enquanto Mocambo filiado, partícipe dessa história, obviamente inserido do campo da internacionalização. De fato o nome ANAJÔ já faz parte desse contexto, basta que fiquemos atentos e uníssonos.

Malungos (as) é fato que priorizamos os 30 ANOS, mas não podemos negligenciar em esquecimento que nossa entidade foi igualmente sujeito da história em várias demandas em nosso estado. Portanto, cabe elencar aqui algumas intervenções importantes: A saber:

  • Participamos em 24 de abril de 2012 da visita oficial da Ministra Luiza Bairro quando a mesma assinou Acordo de Cooperação entre o Governo Federal e o Governo do Estado de Alagoas;
  • Em setembro de 2012 articulamos e participamos com boa representação na primeira reunião com representantes da SEPPIR e SNJ-PR num diálogo informal sobre o Plano Nacional de Combate ao Extermínio de Juventude Negra lançado em forma “piloto” em Alagoas enquanto PLANO JUVENTUDE VIVA; momento este em que informei pela primeira vez a possibilidade de criarmos a FRENTE ALAGOANA DE APOIO A PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL – FAPIR, a partir de então, fizemos parte da Comissão Especial que preparou o manifesto da Sociedade Civil de Alagoas sobre o Plano Juventude Viva que foi entregue nas mãos da Ministra Luiza Bairros com cópia para o Ministro Gilberto Carvalho no Palácio República dos Palmares em Maceió e é claro, participamos finalmente do lançamento do Plano Juventude Viva em Alagoas acontecido na manha do dia 24 de setembro no Centro de Convenções de Maceió;
  • posteriormente estivemos em várias reuniões com representantes do Governo Federal (SEPPIR, SNJ) e Superintendências da Juventude (SEC. ART. POLITICA e SMCDH) para discutir o entendimento do próprio “plano”;
  • No dia 04 de dezembro apoiamos e participamos efetivamente do ato dos religiosos de matriz africana contra o impedimento da Prefeitura Municipal de Maceió em relação a livre programação na Praia de Pajuçara no dia 08 de dezembro, no dia seguinte fizemos em parceria com outros companheiros a primeira visita a ALE junto aos companheiros ligados PRÓ-FAPIR para apelar ao Deputado Fernando Toledo (presidente da ALE) visando garantir a votação do Projeto de Lei que criaria o Conselho Estadual da Igualdade Racial em Alagoas – CONEPIR ainda em 2012;
  • No dia 08 de dezembro acompanhamos in loco a programação na Praia de Pajuçara no dia de Iemanja – festa das águas, com pronunciamento em palco;
  • No dia 17 de dezembro participamos da aprovação do Regimento Geral da Frente Alagoana de Apoio a Promoção da igualdade Racial – FAPIR; No dia 18 de dezembro participamos da segunda visita ao gabinete do Dep. Fernando Toledo, junto aos Deputados Judson Cabral, Dudu Holanda e Antonio Albuquerque para garantir que o PL fosse colocado em pauta do dia 20 de dezembro, sendo que a votação aconteceu apenas no dia 26, quanto houve a aprovação da lei 381/2012 da criação, composição e competências do CONEPIR;
  • No dia 26 de dezembro acompanhamos in loco na ALE a votação do PL do CONEPIR que foi aprovado por unanimidade pelos deputados, embora constou-se em reunião da FAPIR alguns modificações prejudiciais ao Movimento Negro e recorrido ao Governo que o equivoco fosse dirimido;
  • No dia 30 de dezembro participamos da gravação do Programa de Quintal – sobre o carnaval de Maceió no Quintal Cultural na Vila Brejal;
  • dia 09 de janeiro de 2013 participamos da reunião ampliada de articulação da FAPIR para discutir e aprofundar o Regimento interno, bem como, discutir a possível composição do Comitê Gestor do Plano Juventude Viva em Alagoas;
  • No dia 16 de janeiro participamos da reunião de articulação da FAPIR quando em discussão fizemos indicação de nomes para compor o Comitê Gestor do Plano Juventude Viva, sendo Fernanda Monteiro indicada para representar o ANAJÔ;
  • Dia 02 de fevereiro participamos do lançamento oficial da FAPIR durante programação cultural em memória do Quebra de Xangô em Jaraguá; em 06 de fevereiro fizemos parte da Vigília Afro em reflexão sobre a “destruição” do Quilombo dos Palmares na Serra da Barriga em 1694;
  • Em 15 de fevereiro participamos da reunião sobre o ato a ser feito sobre a morte do jovem artista Guto Bandeira no Quintal Cultural;
  • Dia 20 de fevereiro participamos da posse do Comitê Gestor do Plano juventude Viva/AL, momento em que houve um manifesto frente aos gestores sobre a morte do jovem Guto e a violência desenfreada em Alagoas.

Recentemente estamos participando e acompanhando os encaminhamentos da COEPIR ALAGOAS, visando uma participação efetiva na III COEPIR em 30 de julho (Maceió/Metropolitana), 19 e 20 de agosto COEPIR ESTADUAL e 05 a 07 de novembro a III CONEPIR em Brasilia.

Em tempo, precisamos ficar atentos para acompanhar e fomentar o melhor na composição do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial – CONEPIR cujo Decreto foi publicado no ultimo dia 03 de julho de 2013. A FAPIR deverá discutir coletivamente quais encaminhamentos deveremos fazer.

Por último, chamo a atenção quanto a IMPORTÂNCIA de cada um (a) de nós dentro do processo de construção, sobretudo, mantendo firme e confiante a nossa entidade, com seriedade, compromisso e visão crítica de transformação. Nesse sentido, aguardo a todos (as) FILIADOS na Assembleia Geral Eletiva do ANAJO que acontece nesta terça-feira dia 09 de julho de 2013 as 19h00 na sede da entidade na Rua Caetés – Jacintinho.

Maceió, 07 de julho de 2013.

Helcias Roberto Paulino Pereira
(Presidente Interino)

Entrevista com Helcias Pereira sobre os 30 anos dos APNs

3 de julho de 2013 Deixe um comentário

Confira o Programa Pauta Especial, da TVE Alagoas, gravado no dia 29/04/13. O ativista Helcias Pereira abordou sobre a importância e atuação dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs), entidade do Movimento Social Negro que completou 30 anos de existência em 14 março de 2013.

Comissão organizadora realiza reunião de avaliação

15 de maio de 2013 Deixe um comentário

Na noite dessa terça-feira (14.05), na residência do malungo Allex Sander Porfírio, ocorreu  uma reunião de avaliação dos 30 anos dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) executado no período de 1º e 5 de maio, no Estado de Alagoas.

 

Foi um momento importante que discutiu as estratégias de ação durante a preparação do evento, dificuldades enfrentadas, atuação da equipe organizadora, além de definir os pontos positivos e negativos da infraestrutura.

 

Estiveram presentes integrantes do Comitê Estadual de organização, voluntários da equipe de apoio e a vereadora Fátima Santiago que também foi uma das patrocinadoras do evento. Já o coordenador geral da entidade, Nuno Coelho, participou através da internet em tempo real.

 

Confira algumas imagens do encontro:

 

 

 

 

 

 

Reunião de Avaliação

13 de maio de 2013 Deixe um comentário

Malung@s

Nessa terça-feira (14.05) a partir das 19h, teremos REUNIÃO DE AVALIAÇÃO SOBRE O EVENTO EM HOMENAGEM AOS 30 ANOS DOS APNs.
A reunião será na residência do integrante Allex Sander Porfírio de Souza que fica no Condomínio Horizontal Mangabeiras, apartamento 106, na Av. Governador Gustavo Paiva na Mangabeiras – a portaria fica em frente a Sococo.

 

É importante a presença de todos que ajudaram na organização.

 

Abraço

 

Helciane Angélica Santos Pereira – Coordenadora Estadual dos APNs

Carta Mensal: Maio de 2013

12 de maio de 2013 Deixe um comentário

apns

AGENTES DE PASTORAL NEGROS

Conscientização, Organização, Fé e Luta

São Paulo, 10 de Maio de 2013

Companheiros(as) da Fé e da Luta,

Saudações fraternas!

Nossos corações ainda estão saudosos das comemorações alusivas aos 30 Anos de nossa entidade. Ser APNs é bom demais!

Certamente alguns ainda se recuperam da longa viagem, porém embalados pelas boas lembranças do que significou pisar o solo sagrado do Quilombo dos Palmares junto com o povo negro vibrante e cheio de expectativas do que viria pela frente, na madrugada serena da Serra da Barriga. Mais emocionante foi prestar homenagem aos nossos ancestrais e dar um grande abraço no símbolo maior da história de luta e resistência de nossos guerreiros da causa Palmarina. Nestes dias pudemos viver na prática a experiência do que deveria ser a educação africana e afro-brasileira para nossas crianças.

Um dos grandes objetivos desta estada em Alagoas foi marcar de forma significativa a nossa caminhada de Agentes de Pastoral Negros do Brasil. Mas também mexer com a emoção, com as lembranças, com os sonhos, com o intelecto e principalmente com a autoestima de cada um. A noite no teatro foi memorável e emocionante.

Meus queridos malungos,

O sentimento de pertença agora deve ser ainda maior, beber daquela fonte e inundar com toda aquela energia foi mais que um presente, foi um convite à reflexão. Será que estou no caminho certo? Será que minha militância valeu apena até aqui? Será que já completei minha jornada? Essa resposta só você poderá dar após suas próprias analises.

De nossa parte a luta continua, ainda este ano realizaremos dois momentos importantes e bem direcionados, o primeiro será com os APNs que trabalham com a educação mais diretamente, a Eles ofereceremos um Seminário Nacional sobre “Educação e Negritude: Avaliando a Prática da Lei 10.639 na sua Década de Vigência”.

O outro momento será direcionado as lideranças, Coordenação Ampliada e Coordenadores de Mocambos para uma Plenária Nacional “Goiânia + 3 – Avanços e Desafios no Plano Político dos APNs para o Decênio“. No momento oportuno e após a elaboração dos referidos projetos a nossa Secretaria Executiva dará mais detalhes sobre esses dois momentos.

O importante é estarmos embalados pelo momento e não perdermos o foco da nossa agenda.

Gostaria ainda de voltar a refletir com vocês sobre a III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial – (IIICONAPIR) prevista para acontecer de 5 a 7 de novembro do ano corrente, em Brasília, tendo como tema “Democracia e Desenvolvimento sem Racismo – por um Brasil Afirmativo”.

Os APNs de todo o Brasil deverão estar atentos às etapas preparatórias e empreender esforços para elegermos uma das maiores delegações para a etapa final. Assumir compromissos de contribuir com a construção das Conferências Municipais; Regionais e Estaduais. Vestir a camisa dos APNs e ir a campo para incidir na pactuação das políticas afirmativas em nossas bases, no dialogo com o Governo Municipal, Estadual e Federal e estar atento ao monitoramento das políticas públicas, só assim haveremos de ter democracia e desenvolvimento para a população negra no Brasil. A oportunidade esta dada, não podemos perder tempo com embates e nem provocações menores, mas mostrar o quanto somos participantes da construção de um novo Brasil.

Malungos e Malungas,

Nossa luta continua e as nossas homenagens ainda não acabaram, devemos muito a essa entidade e a tudo o que ela significa para nós. Os Estados que ainda não realizaram atividades alusivas aos 30 Anos procurem realizar alguma ação, isso ajuda a animar a nossa militância.

Nuno Coelho

Coordenador Nacional