Arquivo

Posts Tagged ‘Escola Nacional de Formação’

Integrante do Anajô é uma das palestras da Escola Nacional de Formação APNs

26 de julho de 2012 1 comentário

Por: Helciane Angélica – Jornalista/APNs e integrante da Cojira-AL

Os Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) realizam nos dias 25 a 27 de julho, na cidade de Belo Horizonte (MG), a segunda etapa da Escola Nacional de Formação para militantes de várias partes do país.

Dentre os temas que estão sendo aprofundados encontram-se: Juventude e Políticas Públicas; Juventude e Violência; Diálogo Interreligioso e Intolerantismo; História das Religiões de Matriz Africana, Educação e Relações raciais, Educação e Negritude, Mídia e Poder.

A jornalista alagoana Valdice Gomes – diretora do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô, Presidente do Sindjornal e integrante da Cojira/AL – estar representando todos os malungos do Estado de Alagoas, e também, foi convidada para ser uma das professoras. Ela repassará seus conhecimentos e experiência profissional sobre “Mídia e Poder”, além de destacar a importância do movimento negro social e todos os segmentos afros darem mais visibilidade às suas ações e manter uma integração maior junto aos veículos de comunicação.

E no sábado (28.07), também ocorrerá a Reunião de Planejamento da nova Diretoria. Saiba mais sobre a entidade nacional do movimento negro, no site: www.apnsbrasil.org.

Anúncios

Fátima Santiago participa de formação étnicorracial em São Paulo

26 de julho de 2011 Deixe um comentário
A parlamentar esteve na Escola de Formação dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) e, também, no II Seminário Internacional da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha


Por: Helciane Angélica 

A vereadora por Maceió, Fátima Santiago (PP), esteve nos dias 19 a 23 de julho na cidade de São Paulo para participar da Escola de Formação dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) – entidade do movimento negro brasileiro, que existe há 28 anos e está presente em 11 Estados – e também prestigiou o II Seminário Internacional da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha.
Na opinião da vereadora, o racismo é um fenômeno que muitas vezes consegue se camuflar e está presente em vários setores e, somente, com representações parlamentares comprometidos com a causa étnicorracial, teremos mudanças expressivas e leis exercidas.  “Se a gente não se conscientizar que podemos ser parlamentares e mostrar a nossa capacidade nas diversas profissões, não ascenderemos socialmente. E enquanto a gente ficar só no discurso, criar conselhos e esses não conseguirem adentrar nas periferias, não teremos poderes e não conseguiremos a transformação social. Somos negros e a maioria neste país, então, temos que reivindicar os nossos direitos. Aí sim, acreditarei na mudança!”, destacou.
Dentre os temas discutidos na Escola de Formação estiveram: Globalização e as Questões Etnicorraciais; História dos APNs no Brasil; O Movimento Negro e o Estado; Negro, Política e poder; Racismo no Brasil; Política de Segurança Alimentar no Brasil; além de passeios étnicos, cine-fórum; oficina de teatro do oprimido e visitas em órgãos públicos que executam políticas afirmativas no combate do racismo e outras formas de discriminação.

Nessa escola pude obter mais informações sobre as ações afirmativas destinadas à população negra. Eu nunca fui militante e vim aqui para aprender mesmo e, com certeza, agora retornarei para minha cidade com uma bagagem inteira de ideias para o meu mandato”, exaltou Fátima Santiago, que também fez questão de oficializar a sua filiação nos APNs.
Seminário Internacional
Nos dias 22 e 23 de julho, a parlamentar também prestigiou o II Seminário Internacional da Mulher Afro-latino-americana e Caribenha que aconteceu na Secretaria de Justiça de São Paulo. Ela também foi convidada para compor a mesa de honra e falar um pouco sobre a sua experiência na área profissional e política.

As mulheres representam 61% da população brasileira, mas é minoria nos espaços de poder. Fátima Santiago destacou que não entende o porquê das mulheres não votarem em mulheres para defender seus próprios interesses. Ela é a primeira vereadora negra eleita na capital alagoana e está no seu terceiro mandato e, atualmente, encontra-se entre as cinco mulheres no total de 21 vereadores na Câmara Municipal de Maceió e é a única negra. Tem formação em Medicina, é especialista em Ginecologia e Obstetrícia, tem pós-graduada em Medicina do Trabalho; além de formação em Vídeo-histeroscopia e Diagnóstico Cirúrgico.

Coluna Axé divulga ações dos APNs

25 de julho de 2011 Deixe um comentário

Juventude APNs fortalecida

 Atuantes na história foi o lema do 1º Encontro Nacional da Juventude dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) de 14 a 17 de julho, na cidade de Campinas (SP). Estiveram presentes 40 representantes juvenis do meio rural e urbano, oriundas dos estados de Alagoas, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Tocantins e São Paulo. A programação foi extensa, iniciando com um passeio étnico no dia do aniversário da cidade (237 anos), onde foram apresentados as sete maravilhas escolhidas pelos campineiros e outros pontos turísticos, além da explanação sobre ícones negros (Francisco Glicério, José Paulino, Bento Quirino, Antônio Cesariano e Carlos Gomes). Teve uma caminhada e a entrega de um manifesto contra o genocídio e o extermínio da juventude negra brasileira, a ação foi parada várias vezes por policiais militares que tentaram impedir a liberdade de expressão; também foram realizadas oficinas culturais e grupos de trabalho. De acordo com a Carta divulgada pelos participantes no site da entidade, www.apnsbrasil.org, foram destacadas como prioridades: Reivindicar dos gestores na área da educação a aplicabilidade da Lei 10.639/03, inclusive, todos os mocambos realizarão uma grande Mobilização Estudantil Nacional no Dia do Estudante para alertar a sociedade sobre o combate do racismo na escola e a necessidade de propagar as heranças africanas; participar efetivamente das Conferências da Juventude, Mulher, Saúde e Educação; na criação de espaços de discussão e formação; dentre outras ações. Esse evento contribuiu para a formação de lideranças jovens, para que ajudem na mobilização de seus núcleos de base (mocambos) no combate do racismo e outras formas de preconceito, além de serem mais conscientes e lutarem por seus direitos. Axé!

 

Juventude

Começou o processo de articulação para as etapas municipais e estaduais da 2ª Conferência Nacional da Juventude prevista para 9 a 12 de dezembro em Brasília. E a juventude negra tem que estar presente para evidenciar as inúmeras adversidades sócio-culturais e econômicas enfrentadas cotidianamente, além de reivindicar maior investimento em políticas públicas. Os APNs saíram na frente nas discussões e outras entidades do movimento negro devem investir em reuniões específicas sobre esta temática, pois, somente com jovens conscientes será possível transformar a sociedade! (Crédito da foto: João Carlos Pio/Cortesia)

Formação

De 18 a 24 de julho, os APNs realizam outra importante atividade: a Escola Nacional de Formação em São Paulo (SP), com o objetivo de capacitar as lideranças estaduais. Os assuntos abordados são: Globalização e as Questões Étnicorraciais; História dos APNs no Brasil; O Movimento Negro e o Estado; Negro, Política e Poder; Ações Afirmativas e Comunidades Tradicionais; Racismo no Brasil; Política de Segurança Alimentar no Brasil. As aulas serão ministradas por ativistas experientes e professores universitários comprometidos no combate do racismo e que se dedicam às pesquisas sobre a questão étnicorracial.

Fonte: Coluna Axé – jornal Tribuna Independente – nº 159 (19.07.11)