Arquivo

Posts Tagged ‘Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC)’

Encontro discute agenda com segmento cultural afro-brasileiro

23 de junho de 2016 Deixe um comentário

AFRO07-430x270O presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), Vinícius Palmeira, reuniu-se na última segunda-feira (20) com representantes do segmento  de cultura afro-brasileira e de entidades do movimento negro de Maceió para definição de ações relacionadas à área na capital alagoana.

O encontro resultou na formação de uma comissão que irá propor novos encaminhamentos para a política pública cultural relacionada ao setor.  Nesta quarta-feira (22), os participantes confirmaram uma nova reunião, que deve acontecer no próximo dia 6 de julho, no auditório da própria Fundação.

Na pauta de discussões está a realização dos eventos já consolidados e apoiados pela Prefeitura de Maceió, por meio da Fmac, que são o Saurê Palmares, comemorativo ao Dia Internacional da Consciência Negra – 20 de novembro; a Festa das Águas, realizada pela passagem do Dia de Iemanjá – 8 de dezembro e o Xangô Rezado Alto, que acontece dia 2 de fevereiro.  De acordo com o diretor de Políticas Culturais da fundação, Marcos Sampaio, a comissão formada por 14 integrantes do segmento de cultura afro-brasileira, deve apresentar sugestões para a execução das festividades culturais.

Coordenada por Vinícius Palmeira, a reunião contou com representantes de 24 entidades, entre as quais o Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô e a Comissão de Jornalistas Pela Igualdade Racial em Alagoas, o Instituto Federal de Alagoas (Ifal), Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), além de diversas comunidades tradicionais de matriz africana e do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Maceió. Os representantes pediram à Palmeira, que intermediasse uma reunião com o prefeito Rui Palmeira, para que possam fortalecer e sugerir novas políticas públicas culturais para a comunidade afrodescendente em Maceió.

Desse encontro destaco as lideranças e instituições veteranas do segmento de cultura afro-brasileira, que se somam ao lado de novas representantes, reforçando e renovando o movimento”,  ressalta Vinícius Palmeira. Ele enfatiza o compromisso da atual gestão, para a realização de ações culturais afro-brasileira em Maceió, fortalecidas nos últimos anos.

Na reunião com o segmento, além de discussões e avaliações sobre as ações executadas pela Fmac, os participantes vivenciaram momentos de alegria, como a declarada  pelo jovem professor de dança Diego Bernardes, que fez questão de tornar público  emoção que sentiu, ao se ver ao lado de lideranças mais antigas. “Eles são as minhas referências”, confessou.

 

Fonte: Marcelo Amorim/Ascom Fmac

Anúncios

Tambor Falante é realizado na Grota da Alegria

29 de maio de 2016 Deixe um comentário

IMG-20160531-WA0021

O Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô – entidade vinculada aos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (ANPs) – iniciou os trabalhos do “TAMBOR FALANTE: Refletindo, Debatendo e Transformando Realidades”. O projeto foi um dos selecionados no Prêmio Eris Maximiniano 2015, uma realização da Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC).

A primeira etapa ocorreu no dia 28 de maio no bairro de Benedito Bentes 2, em parceria com o Centro de Educação Popular e Cidadania Zumbi dos Palmares (Cepec), que cedeu a sua sede localizada na Grota da Alegria para a discussão sobre o tema “MAIORIDADE PENAL E O EXTERMÍNIO DA JUVENTUDE NEGRA”.

Atualmente, o Estado de Alagoas é o 3º mais violento do país com 8,75 dos dados (muito acima da média nacional que é 2,7) e Maceió é a 5ª capital mais violenta com 55,63 das estatísticas e a 18ª cidade mais violenta do mundo. A crescente estatística de assassinatos e outras formas de violência no Brasil tem se configurado como um caso de calamidade pública nacional; a insegurança destrói famílias e o futuro de muitos jovens, especialmente, jovens negros. A violência no Brasil tem idade, raça e território: jovens entre 15 e 29, do sexo masculino, de cor preta ou parda e que moram em locais de vulnerabilidade social.

Cerca de 80 pessoas participaram desse momento de integração e formação sociopolítica, entre: crianças e adolescentes da comunidade, fiéis da Igreja Batista da Grota da Alegria, acadêmicos e integrantes do Movimento Social Negro. Dentre as instituições que estiveram representadas no local, estiveram: Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente Zumbi dos Palmares (CEDECA), Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojira-AL/Sindjornal), Faculdade de Letras (FALE)-CAAL-UFAL, Instituto do Negro de Alagoas (INEG), Movimento Mulheres pela Democracia, Núcleo de Estudos Afro Brasileiros da Universidade Federal de Alagoas (Neab-Ufal), ONG Moradia e Cidadania, Partido dos Trabalhadores (PT), Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (SINTEAL).

No encerramento da atividade, o Contra Mestre Alex D´Lua coordenou a apresentação do Grupo Yá Capoeira, que realizou uma bela roda de capoeira e interagiu com o público no samba de roda, demonstrando que a cultura e o esporte são mecanismos essenciais para a transformação social, cultura de paz e afastamento da marginalidade.

 

Currículo dos facilitadores

Para subsidiar o debate, apresentar dados e propostas de reflexão foram convidados como facilitadores: Rúbia Nascimento (PJMP-AL) e Vinícius Almeida (APNs-SP), ambos, membros do Conselho Nacional da Juventude (Conjuve). Veja abaixo o currículo dos ativistas:

RÚBIA NASCIMENTO: Acadêmica de Ciências Sociais na Universidade Federal de Alagoas (UFAL); Militante da Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP) no Estado de Alagoas; Representa a PJMP, pela cadeira de religiosos, no Conselho Nacional de Juventude (CONJUVE); integra o GT de Juventude Negra e coordena a Comissão de Comunicação; Participou do processo de construção e eleição do Conselho Estadual de Juventude em Alagoas; Pela PJMP, fez parte da coordenação nacional da Campanha Contra Violência e Extermínio de Jovens; Possui Formação Técnica em Teatro pela ETA-UFAL e trabalha no Centro Educacional Municipal em Messias como professora de teatro.

VINÍCIUS ALMEIDA: Professor de Educação Física; Militante dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil no Estado de São Paulo (APNs-SP); Representa os APNs, pela cadeira Negros e Negras, no Conselho Nacional de Juventude (CONJUVE); Coordenador de Esportes no Centro Educacional Unificado Tiquatira pela Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de São Paulo; Desenvolve o projeto Ocupação Preta em parceria com Secretaria Municipal de Cultura e o projeto Ciclo de Debates em parceria da ETEC Tiquatira; Em 2015, fundou com outros ativistas o Coletivo Glicério Pela Vida, promovendo a ocupação dos espaços públicos, com ações sociais e culturais contribuindo para redução da violência e violação dos direitos dos moradores e refugiados do bairro.

 

Confira o registro fotográfico do evento: AQUI!

Tambor Falante sobre “Maioridade Penal e Extermínio da Juventude Negra”

20 de maio de 2016 Deixe um comentário

cartaz.tamborfalante-28.05.16

Diretoras do Anajô se reúnem com gestor da FMAC

14 de abril de 2016 Deixe um comentário
13020626_1028300337265014_184528960_n
Na manhã do dia 12 de abril, representantes do  Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô  – entidade do movimento negro vinculada aos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) – estiveram na sede da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), órgão público da Prefeitura de Maceió.
O encontro foi solicitado por Maria Madalena da Silva e Helciane Angélica, respectivamente, Presidente e Secretária Geral e de Comunicação, que dialogaram com Marcos Sampaio – Diretor de Políticas Culturais da Fmac.
Na ocasião, foram elucidadas as dúvidas sobre os aspectos financeiros do projeto TAMBOR FALANTE – REFLETINDO, DEBATENDO E TRANSFORMANDO REALIDADES, que foi aprovado na categoria – Cultura Afro-brasileira do Prêmio Eris Maximiano 2015.
A previsão é iniciar o projeto no próximo mês. Tem como objetivo geral: realizar cinco encontros de formação/debates utilizando os aspectos culturais na formação sociopolítica da população afrodescendente e desencadeando a produção de um LIVRO e DVD sobre os temas discutidos.
Vamos aos trabalhos com muito axé!

Edital das Artes: Prefeitura divulga resultado final

7 de dezembro de 2015 Deixe um comentário
Coletiva na FMAC Sobre O Edital das Artes

Resultado do Edital das Artes foi divulgado nesta segunda-feira. Foto: Marco Antônio/Secom Maceió.

A Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), divulgou nesta segunda-feira (07), o resultado final do Edital de Concurso para seleção de Projetos Culturais e Artísticos para a Cidade, Prêmio Eris Maximiano. A ação selecionou 37 projetos culturais e artísticos para a cidade nos mais diversos segmentos culturais.

O Prêmio Eris Maximiano aporta R$ 1,4 milhão em prêmios com valores entre R$ 20 mil e R$ 80 mil para projetos de produção, difusão, circulação, manutenção e capacitação. Dos 168 projetos inscritos no edital, 133 passaram pela etapa de habilitação e foram analisados por comissões de seleção especializadas de acordo com a classificação do segmento cultural.

Foram selecionadas duas propostas na categoria Patrimônio Material, Imaterial, Arquivos e Museus; três em Artes Visuais, Arte Digital e Fotografia; três em Artesanato, Moda e Design; cinco projetos de Cultura Popular; quatro projetos de Cultura Afro-brasileira; quatro de Literatura livro e leitura; nove de Música; e sete de Artes Cênicas. Estes últimos, Música e Artes Cênicas, foram os segmentos com maior número de projetos apresentados.

Os proponentes que desejarem acesso às notas concedidas pela comissão julgadora devem documentar o pedido e protocolar o mesmo na sede da Fundação.

Acesso democrático

Em conversa com a imprensa nessa manhã o presidente da FMAC, Vinicius Palmeira, chamou a atenção para a importância da democratização do acesso aos recursos da cultura cada vez mais constantes na gestão municipal. “Com esse edital iniciamos o processo previsto na revisada Lei Municipal de Incentivo a Cultura e todos os projetos aprovados, são projetos incentivados, ou seja, eles já têm o recurso garantido para sua realização”, destaca.

Vinícius Palmeira - Secretário de Cultura

Presidente da Fmac, Vinícius Palmeira, conversou com a imprensa. Foto: Marco Antônio/Secom Maceió.

O presidente lembra que somados os recursos investidos no Prêmio Eris Maximiano e no recém-divulgado Edital do Audiovisual, a Prefeitura investe um total de R$ 2,3 milhões na produção cultural local. “Isso levando em consideração os editais para projetos de iniciativa da comunidade cultural; mas é preciso lembrar que os festejos populares tradicionais como São João e Carnaval também são construídos em parceria com a comunidade em processos seletivos cujo edital também é o meio de seleção prioritário”, explica Vinicius Palmeira.

O diretor de Políticas Culturais da FMAC, Marcos Sampaio, destaca a lisura do processo de seleção feito por comissões de trabalho formadas por especialistas em cada área avaliada. “Isso é importante, porque o avaliador não está levando em consideração nenhum tipo de conhecimento prévio que tenha dos artistas ou grupos envolvidos no projeto. A seleção é feita apenas a partir da análise do projeto e anexos escritos e apresentados”, afirma.

A presidente do Conselho Municipal de Políticas Culturais, Fátima Menezes, reconhece os editais como a melhor forma de promover o acesso de todos aos recursos públicos. “Nós que constituímos a comunidade cultural temos que cada dia mais investir em qualificação e capacitação para elaboração de projetos. Esse é o meio de acesso a patrocínios não só no município de Maceió, mas em todo território nacional e até internacional”, avalia.

 

Veja a lista de projetos aprovados:

– Patrimônio Material, Imaterial, Arquivos e Museus

É DIA DE FEIRA – 50.000,00

JANGADA DE PAU – 80.000,00

 

– Artes Visuais, Arte Digital e Fotografia

EXPOSIÇÃO JARDINS SUSPENSOS – 30.000,00

CANTEIROS DE OBRAS – 40.000,00

LABORATÓRIO DE INTERVENÇÕES E NARRATIVAS URBANAS – 20.000,00

 

– Artesanato, Moda e Design

O BORDADO FILÉ – 30.000,00

NO TACHO DO RIACHO – 20.000,00

SURURU DAS ALAGOAS DA GASTRONOMIA A ARTE DE FAZER – 30.000,00

 

– Cultura Popular

PONTINHOS DE CULTURA DE BRINCADEIRAS POPULARES – 20.000,00

O COCO ALAGOANO “PRA TODO MUNDO PISAR” DA RAIZ AO CONTEMPORÂNEO – 30.000,00

CIRANDA DE MEMÓRIAS – 80.000,00

REDE SOCIOCRIATIVA DO COCO DE RODA – 50.000,00

ENCONTROS 2016 – MARACATU DE BAQUE VIRADO – MACEIÓ – AL – 40.000,00

 

– Cultura Afro-brasileira

BRASIL DOS ORIXÁS – 30.000,00

SARAVÁ – 50.000,00

A CODIFICAÇÃO CORPORAL DA DANÇA DE IANSÃ NAS COREOGRAFIAS DO AFOXÉ OJU OMIM OMOREWÁ – 20.000,00

TAMBOR FALANTE – REFLETINDO, DEBATENDO E TRANSFORMANDO REALIDADES – R$ 40.000,00

 

– Literatura, Livro e Leitura

AMORES ÉBRIOS – 30.000,00

EM CANTOS AFRICANOS – 40.000,00

PAPEL NO VARAL – POESIA DE TODO CANTO, POESIA PARA TODO MUNDO – 40.000,00

PENSANDO A CULTURA ALAGOANA: “A SENSABORIA DOS INDEFECTÍVEIS E DETESTÁVEIS MARACATUS”: O QUEBRA DE XANGÔ E OS MARACATUS EM ALAGOAS NO INÍCIO DO SÉCULO XX. E “DE JACINTO A TORORÓ”: A REINVENÇÃO DO SÃO JOÃO DE MACEIÓ. – 20.000,00

 

– Música

A INVENÇÃO É A MÃE DAS NECESSIDADES DO ARTISTA VITOR PIRRALHO E UNIDADE – 30.000,00

FESTIVAL MAIONESE 10 ANOS – MÚSICA ALTERNATIVA, ARTE LIVRE E CULTURA INDEPENDENTE – 40.000,00

BAIONANDO – 70 ANOS DE BAIÃO – 20.000,00

DVD WADO 15 ANOS – O MANIFESTO DE 1977 – 40.000,00

IV FALAME – FESTIVAL ALAGOANO DE MÚSICA ERUDITA – 40.000,00

RUMOS E RUMORES – 40.000,00

MASSALA – CIRCULAÇÃO – 30.000,00

RÁDIO CABEÇA – 30.000,00

DVD PROJETO PALCO ABERTO – 12 ANOS – 40.000,00

 

– Artes Cênicas

ESPETÁCULO VOLANTE DE PRAÇA EM PRAÇA – 30.000,00

A VELHA – 40.000,00

CADÊ MEU NARIZ?! – II ENCONTRO DE PALHAÇO DE MACEIÓ – 80.000,00

VOLTA À SECA – REVENDO O CANGAÇO EM ALAGOAS – 30.000,00

ENTRE RIO E MAR, HÁ LAGOANAS – 40.000,00

COMPANHIA DOS PÉS 16 ANOS – 50.000,00

ESPETÁCULO – A FARSA DA BOA MOÇA – 30.000,00

 

Clique aqui e confira a publicação no Suplemento do DOM com a lista dos projetos selecionados.

Clique aqui para conhecer a comissão julgadora dos projetos.

 

Fonte: Secom Maceió com Ascom Fmac

Anajô/APNs participa do Saruê Palmares

17 de novembro de 2013 Deixe um comentário
XirêdoTempo

Xirê do Tempo

A programação afro-cultural no mês da consciência negra na capital alagoana será em grande estilo. No dia 19 de novembro, na histórica Praça dos Palmares localizada próximo ao Calçadão do Comércio, terá o SARUÊ PALMARES com várias apresentações artísticas, oficinas e exposições.

Trata-se de uma realização da Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), que busca colaborar para o fortalecimento do segmento da cultura afrobrasileira e está alinhada com as metas previstas no Plano Municipal de Cultura.

O Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô – entidade vinculada aos Agentes de Pastoral Negros do Brasil – marcará presença no evento com a exposição Xirê do Tempo, que foi uma dos atrativos da celebração dos 30 anos dos APNs. São utilizados seis(6) banners informativos com suporte de ferro, que ficam posicionados em formato de círculo e com decoração complementar: tecido, peças de cerâmica, cestaria e folhagens. No conteúdo, tem informações sobre a atuação dos APNs ao longo das três décadas de existência, atuação política e atividades desenvolvidas.

Confira abaixo a programação geral:

734446_10200124297670818_889108172_n

Bastidores: Reunião na FMAC

10 de setembro de 2013 1 comentário

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Cultura afroalagoana

Na última sexta-feira (06.09), no auditório da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC) localizado no bairro histórico do Jaraguá – ocorreu uma expressiva reunião com segmentos da cultura afroalagoana. A convocatória partiu do Presidente da FMAC, Vinícius Palmeira, em conjunto com o seu corpo técnico. Teve como objetivo destacar a importância dos editais públicos, que são ferramentas mais justas e democráticas para efetivar o patrocínio cultural e o repasse de recursos públicos.
Outro ponto expressivo foi a leitura da carta emitida por Jairo Campos, Reitor da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), que transfere a seção do projeto “Xangô Rezado Alto” para o órgão municipal vinculado à Prefeitura de Maceió. “Há três anos, existe um esforço grande para consolidar o dia 02 de fevereiro e marcar a face negra e a valorização da negritude. Esse projeto já tem um convênio firmado com o Ministério da Cultura e queremos ampliar as atividades”, afirmou Vinícius Palmeira.
Também foi repassada a informação que o governo municipal pretende executar uma programação especial na semana da consciência negra, com: apresentações, exposição, feira de artesanato, oficinas e ações de estética.
No debate, foi ampliada a discussão sobre a revitalização das praças públicas que tem nomes de personalidades negras e exaltam a história afroalagoana; além definir um calendário afro-permanente com ações sócio-culturais e de formação durante o ano todo: Lavagem do Bomfim (janeiro); Quebra de Xangô (fevereiro); 21 de março – Dia Internacional de Combate ao racismo; 13 de maio – Dia Nacional de luta contra o racismo; Agosto popular; Mobilização pró Saúde da População Negra (outubro); 20 de novembro – Dia Nacional da Consciência Negra e de Zumbi dos Palmares; e o Dia de Iemanjá e Festa das Águas (dezembro).
No encerramento, ocorreu a composição de comitês para aprofundar as demandas do projeto Xangô Rezado Alto, e, outro grupo para refletir sobre a cadeia produtiva nas ações afro-culturais em Maceió. Estiveram presentes representantes de grupos afro-culturais (dança-afro, maracatu, afoxé), capoeiristas, religiosos de matrizes africanas e lideranças de organizações não-governamentais; além da representação do escritório estadual da Fundação Cultural Palmares/Minc em Alagoas.
Que o diálogo e a valorização da cultura afrobrasileira seja uma Política de Estado! Axé!
Fonte: Coluna Axé – 266ª edição – Jornal Tribuna Independente (10 a 16/09/2013).
Editora: Helciane Angélica / Contato: cojira.al@gmail.com