Arquivo

Posts Tagged ‘mulher’

Anajô/APNs na Kizomba das Mulheres Negras

29 de outubro de 2015 Deixe um comentário

O Comitê Impulsor da Marcha das Mulheres Negras no Estado de Alagoas promoveu  nessa quarta-feira(28.10), a “Kizomba das Mulheres Negras”, na Orákulo Chopperia localizada no bairro do Jaraguá em Maceió.DSC04230

Integrantes do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô/Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) marcaram presença na atividade, e também, estiveram envolvidas na organização. Foi momento de celebração, renovação da luta e exaltação do trabalho de grupos afroculturais locais.

O evento contou com a apresentação do Afoxé Povo De Exú; Coletivo Afro Caeté; Afoxé Oju Omim Omorewá; Banda Afro Mandela; Banda Afro Zumbi; Banda Afro Afoxé; Grupo Segura O Coco; Mel Nascimento & Malacada; Grupo Cadência; além de Igbonan Rocha & Samba de Nêgo com as participações especiais de Luana Costa, Carla Araújo, Ismair Martins e Janaina Martins.

O comitê impulsor alagoano já conseguiu dois ônibus para levar a comitiva alagoana até a Marcha das Mulheres Negras 2015, que acontecerá no dia 18 de novembro em Brasília. E agora, o recurso arrecadado com a comercialização dos ingressos será revertido para quitar as despesas com alimentação e alojamento.

Saiba mais: http://www.marchadasmulheresnegras.com/

Participe da Kizomba das Mulheres Negras

27 de outubro de 2015 Deixe um comentário

kizomba

Xirê de Malung@s

21 de março de 2015 Deixe um comentário

No dia 20 de março de 2015, os Agentes de Pastoral Negros do Brasil em Alagoas (Apns/AL) intensificaram o debate sobre a Marcha Nacional das Mulheres Negras, através da leitura do manifesto e assistindo vídeos temáticos.

Também foram discutidas estratégias de mobilização, em conjunto com outros grupos, para destacar a importância desse ato que acontecerá no dia 18 de novembro em Brasília.

Estamos em marcha contra o racismo e machismo. Lutamos por respeito, dignidade e bem viver!

Saiba mais: http://www.2015marchamulheresnegras.com.br/

Este slideshow necessita de JavaScript.

Seminário sobre mulheres negras

28 de julho de 2014 Deixe um comentário

cartaz.seminário

8º Tambor Falante

27 de julho de 2014 Deixe um comentário

Nesse sábado(26.07) ocorreu a oitava edição do projeto Tambor Falante, com o tema “Empoderamento da Mulher Negra”.  Foi no bar “O bom da charque” localizado no bairro do Trapiche em Maceió. As facilitadoras foram: a professora e pesquisadora, Angela Brito e a jornalista Valdice Gomes.

Os temas já discutidos foram: “A importância da Lei 10.639/03”; “Questões raciais e de gênero”; “Intolerância religiosa; Censo 2010 – Assuma a sua negritude!”; “Censo 2010 – Negritude e Periferia”; “Racismo e Homofobia na atual conjuntura”; e “As raízes africanas na História de Alagoas”.

Essa é uma importante iniciativa do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô – entidade vinculada aos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) – busca a formação e integração entre membros do movimento negro.

Confira o registro fotográfico:

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Valdice Gomes participa do “Fora de Pauta”

8 de março de 2012 Deixe um comentário

Nessa quinta-feira (08.03), às 20h, terá mais uma edição do projeto “Fora de Pauta”, desta vez, com participação especial da jornalista Valdice Gomes – Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Alagoas (Sindjornal), Diretora do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô/APNs e integrante do Conselho Nacional de Políticas pela Igualdade Racial (CNPIR/Seppir).

 

O projeto traz a cada semana o debate entre jornalistas, intelectuais, artistas e sociedade em geral a respeito da realidade sócio-política alagoana e brasileira, além de servir como um espaço de bate-papo sobre os bastidores da imprensa e o papel que a mídia representa em nossas vidas.

 

Fonte: Coluna Axé – nº191 – jornal Tribuna Independente (06.03.12)

Caso GBarbosa: Advogado diz que está acompanhando detalhadamente investigações

2 de janeiro de 2012 Deixe um comentário

Empresa se nega a assinar rescisão de contrato da funcionária agredida

 

Por: Cibelle Araújo – Jornalista (MTE/AL 1095)

 

Na manhã da última sexta-feira (30) o advogado Alberto Jorge Ferreira dos Santos (conhecido por Betinho), Presidente da Comissão de Defesa das Minorias Étnicas e Sociais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Alagoas), juntamente com Helcias Pereira, diretor do Anajô, membro da coordenação nacional dos agentes pastoral negros (APN’S) e conselheiro nacional da Promoção da Igualdade Étnico-Racial e a Jornalista Cibelle Araújo, estiveram no Supermercado GBarbosa localizado no bairro da Cruz das Almas para acompanhar detalhadamente o andamento das investigações do caso de agressão sofrida pela funcionária Cássia da Silva Nicandio, 37, por outro funcionário da empresa.

Na ocasião, foram recebidos pelo gerente Félix que expulsou de sua sala os representantes da funcionária agredida sob a alegação de que o assunto era interno da empresa, só recebendo advogado e a vítima. Segundo o advogado Alberto Jorge, a ida ao GBarbosa se deu pelo fato da empresa não ter recebido por sedex a cópia do exame de corpo de delito, o boletim de ocorrência e o termo de rescisão indireta do contrato de trabalho solicitado pela própria empresa.

De acordo com Alberto Jorge, houve três contatos com a empresa, o primeiro no dia 25 de dezembro, um segundo momento por meio do documento postado no dia 26 e por fim no dia 30. “A empresa se negou por três vezes a receber o contrato de rescisão sob a alegação de que havia recebido ordens para não recepcionar nenhum documento referente ao caso. A empresa foi informada oficialmente do termo de rescisão indireta do contrato de trabalho e da nossa indignação diante da empresa ter ameaçado a funcionária através de um telegrama onde dizia que a mesma seria enquadrada por abandono de emprego”, disse Alberto Jorge.

De acordo com o advogado, o próximo passo é preparar o termo de rescisão indireta do contrato de trabalho junto a Justiça do Trabalho, uma ação indenizatória contra danos morais e encaminhar para o gerente da empresa em Aracaju todas as informações sobre o caso.

“Também vamos pedir a manutenção do plano de saúde por um ano, pois a vítima ainda encontra-se em estado de choque e sem condições de exercer suas funções no local de trabalho. Outra providência será requerer a delegacia das Mulheres uma cópia com o tempo integral da filmagem no dia da agressão e saber se a intimação referente à lesão corporal foi entregue a empresa e consequentemente ao agressor”, informou.

A empresa marcará para a próxima semana uma reunião entre o advogado do GBarbosa de Recife e o advogado da vítima para chegarem a um acordo. No dia 06 de fevereiro, está marcada a primeira audiência na Delegacia das Mulheres com a delegada Paula Mercês da Silva para seguir com trâmites legais necessários para punir o agressor.

Entenda o caso: Por volta das 10h30, da quinta-feira, dia 22 de dezembro de 2011, no Supermercado GBarbosa localizado no bairro da Cruz das Almas na capital alagoana, a funcionária Cássia da Silva Nicandio, 37, foi covardemente agredida por outro funcionário chamado James das Neves Bernardes no próprio local de trabalho. Segundo a vítima, James era uma pessoa reservada e tranquila, mas nos últimos dias estava sendo grosseiro com todos, inclusive, com a encarregada do setor.

A polícia não foi acionada e com a demora da SAMU, a vítima saiu desacordada em um carro de um amigo e foi atendida em um hospital particular. Posteriormente, seguiu para a 1ª Delegacia Especializada no Atendimento a Mulher; onde prestou queixa e o boletim de ocorrência, depois foi até o Instituto Médico Legal (IML) fazer o exame de corpo de delito.

Funcionária é agredida dentro do Supermercado GBarbosa

24 de dezembro de 2011 1 comentário

A vítima que é uma mulher negra sofreu violência moral e física, e o gerente da loja evitou prisão em flagrante

Texto e fotos: Helciane Angélica – Jornalista/integrante da Cojira-AL

O Natal é considerado o período mais esperado do ano para as famílias e empresas, onde as pessoas pregam a paz, união e o amor ao próximo, além de irem às compras para adquirir os produtos das confraternizações e garantir a troca de presentes. Porém, a Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial em Alagoas (Cojira-AL/Sindjornal) denuncia um fato lamentável que ocorreu na última quinta-feira (22.12) em Maceió.

Por volta das 10h30, no Supermercado GBarbosa localizado no bairro da Cruz das Almas na capital alagoana, a funcionária Cássia da Silva Nicandio, 37, foi covardemente agredida por outro funcionário chamado James das Neves Bernardes no próprio local de trabalho. Segundo a vítima, James era uma pessoa reservada e tranquila, mas nos últimos dias estava sendo grosseiro com todos, inclusive, com a encarregada do setor.
Eu fui conversar para saber o que estava acontecendo, ele tinha faltado e perguntei se estava doente, se estava tudo bem. Ele disse que tinha todas as doenças do mundo e que ninguém do trabalho acreditava”. Cássia terminou perguntando se aquilo era destinado a ela, e aos gritos James respondeu: “se a carapuça serviu o problema é seu”. Diante da resposta ríspida, pediu para abaixar o tom de voz e foi quando ele partiu para cima, ela se protegeu com um empurrão e depois foi atingida com uma lata de refrigerante na cabeça.
A partir daí, as agressões se multiplicaram sobre os olhares de outros funcionários e clientes. James tentou dar uma “gravata” no pescoço, jogou-a no chão, deu socos e pontapés, enquanto, as pessoas gritavam pedindo para parar e tentavam afastá-lo. Com a chegada do gerente, o ataque cessou e os demais funcionários queriam linchá-lo, mas, ele foi conduzido para o setor pessoal onde ficou um tempo, deixou seu atestado médico, e em seguida liberado.

A polícia não foi acionada e com a demora da SAMU, a vítima saiu desacordada em um carro de um amigo e foi atendida em um hospital particular. Posteriormente, seguiu para a 1ª Delegacia Especializada no Atendimento a Mulher; onde prestou queixa e o boletim de ocorrência, depois foi até o Instituto Médico Legal (IML) fazer o exame de corpo de delito.
Para a ativista do movimento negro alagoano, Filomena Felix Costa – Presidenta do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô, entidade vinculada aos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs), onde Cássia também é integrante – sua amiga foi duplamente agredida. “Foi um absurdo o agressor não ter sido preso em flagrante. Se fosse uma cliente que tivesse sido espancada, ele seria liberado? E se fosse alguém que estivesse roubando a loja, mesmo que fosse um confeito também seria liberado? Onde estavam os seguranças? Esse caso não pode ser esquecido, temos que denunciar na mídia porque a empresa foi conivente durante o momento e também por se tratar de uma mulher humilde e negra, que foi humilhada e teve seus direitos violados”, exaltou.
De acordo com Cássia Nicandio, o gerente mencionou que pretende demitir o funcionário, assim como, afirmou que a empresa está à disposição dela para o que for preciso, e que ela junto à família fizesse o que estivesse ao seu alcance para denunciar o agressor. Neste momento, Cássia anda com dificuldades devido ao inchaço na perna e dores no corpo, e afirma está se sentindo envergonhada com o que aconteceu.


Assessoria jurídica

 

 

O advogado Alberto Jorge Ferreira dos Santos, conhecido por Betinho, que é Presidente da Comissão de Defesa das Minorias Étnicas e Sociais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Alagoas) está acompanhando o caso. Ele informou que entrará com uma ação de rescisão indireta de contrato de trabalho, pois a vítima encontra-se em estado de choque e sem condições de exercer suas funções no local, além disso, a omissão da empresa ainda pode acarretar em danos morais.
Em relação a James, o advogado comparecerá com a vítima na próxima terça-feira (27.12) às 9h na Delegacia das Mulheres para conversar com a delegada Paula Mercês da Silva e saber se a intimação referente à lesão corporal foi entregue e seguir com trâmites legais necessários para punir o agressor.