Arquivo

Posts Tagged ‘Nuno Coelho’

Nuno Coelho toma posse como Conselheiro Nacional de Igualdade Racial

5 de dezembro de 2014 Deixe um comentário

Representantes da sociedade civil foram eleitos para compor o CNPIR no biênio 2014-2016

No dia 02 de dezembro, a Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Luiza Bairros, deu posse aos representantes da sociedade civil eleitos para compor o Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR) no biênio 2014-2016.

 

A solenidade ocorreu durante a 48ª Reunião Ordinária do CNPIR, que ocorreu nos dias  02 e 03/12, no auditório do Subsolo do Bloco “A”, da Esplanada dos Ministérios. Os Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) participaram novamente do chamamento público, a entidade foi eleita como membro titular, e será representada pelo atual coordenador geral Nuno Coelho, que substitui o malungo Helcias Pereira (Coordenador de Formação e APN-AL).

 

Presidido pela titular da SEPPIR, o CNPIR é um órgão colegiado de caráter consultivo e integrante da estrutura básica da secretaria com status de ministério. O Conselho tem como finalidade propor, em âmbito nacional, políticas de promoção da Igualdade Racial com ênfase na população negra e outros segmentos raciais e étnicos da população brasileira.

 

Além de combater o racismo, busca propor alternativas para superar as desigualdades raciais, tanto do ponto de vista econômico quanto social, político e cultural, ampliando, assim, os processos de controle social sobre as referidas políticas. O CNPIR é composto por 44 membros entre integrantes de entidades da sociedade civil e representantes do Poder Público.

Ações Afirmativas e Universidade será tema de palestra na Uneal

7 de abril de 2014 Deixe um comentário

O Coordenador Geral dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs), Nuno Coelho, estará nesta segunda-feira (07.14) na cidade de Arapiraca, onde fará às 19h uma palestra para o corpo docente e alunos da Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL).

Tem como objetivo discutir os avanços e os desafios das Ações Afirmativas e o papel da universidade neste contexto social e político, e também, contará com a presença de Helcias Pereira – Vice Presidente do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô e membro do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR/SEPPIR).

O convite foi realizado pelo historiador Clébio Araújo, que também é vice-reitor da instituição de ensino.

APNs: CARTA MENSAL – Agosto/2013

18 de agosto de 2013 Deixe um comentário

APNs

AGENTES DE PASTORAL NEGROS
Conscientização, Organização, Fé e Luta

São Paulo, 08 de Agosto de 2013

Malungos(as) APNs,

Estamos muito próximos da realização da III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial (III CONAPIR), com o tema “Democracia e Desenvolvimento por um Brasil Afirmativo” ela acontecerá de 5 a 7 de novembro, em Brasília (DF).

Enquanto entidade nacional estamos mobilizando nossos Mocambos e Quilombos para que participem, se articulem e saiam delegados para todas as etapas deste processo de participação social.

Esse tema, embora muito novo vai de encontro ao programa da presidenta Dilma Rousseff que tem tratado por dentro do governo sobre o desenvolvimento.

A desigualdade racial sistemática é fator significativo para o subdesenvolvimento econômico de países com grandes populações excluídas e discriminadas como o Brasil.

Já é reconhecido por todos que a luta do movimento negro ao longo dos últimos anos para consolidar as ações afirmativas têm se mostrado uma ferramenta importante para eliminar as desigualdades raciais mais persistentes e, desse ponto de vista, a chegada de um governo social e democrático ao poder ajudou e muito no início desta década. Concebemos importantes marcos estruturais e institucionais para definir a plataforma política tais como a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) o Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR), do qual fazemos parte desde a sua instituição, um Plano Nacional de Promoção da Igualdade Racial e o Estatuto da Igualdade Racial, entre outras conquistas e planos para eliminar o racismo e afirmar a igualdade de oportunidades.

Contudo o Brasil, ainda precisa vencer alguns importantes desafios como a redução dos homicídios entre jovens negros, da discriminação no acesso a empregos de melhor qualidade, a efetividade da aplicação da Lei 10.639 na rede pública de educação, a aplicação da política de saúde da população negra no SUS, o combate ao racismo institucional presente hoje no poder público, e por ai vai.

Enfim para que a “Democracia e o Desenvolvimento por um Brasil Afirmativo” seja de fato uma realidade o conjunto dos Governos precisam assumir o seu papel e destravar a maquina pública. Garantir que os operadores do sistema tenham acesso a formação étnicorracial não só técnica mas também humana.

Para que o Brasil avance na Democracia o negro não pode mais ser medido pela cor de sua pele, a igualdade tem que passar também pela raça. Essa raça construiu esse País e essa ação afirmativa também serve como reparação.

Não podemos falar em “Democracia”, se essa Conferência Nacional não garantir a remoção dos impedimentos à mobilidade econômica especificamente raciais e também as universais para remover as desigualdades estruturais que reforçam e intensificam padrões mais amplos de desigualdade no País.

O fato meus caros APNs, é que o processo de avanço da política afirmativa no Brasil, parou, o diálogo entre estado e sociedade não tem mais o mesmo espaço de antes, a democracia racial sofre uma grande ameaça de voltar a ser mito. Não podemos deixar!

A sociedade brasileira espera essa ação dos governos, e o nosso papel enquanto entidade do movimento negro é somar esforços aos que serão legitimados para nos representar na III CONAPIR em Brasília, e fazer um exercício de mudar a história e destravar o Brasil para de fato possamos deslumbrar uma verdadeira democracia e desenvolvimento por um Brasil afirmativo.

Nuno Coelho
Coordenador Nacional

NOTA DE REPÚDIO À POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS

12 de agosto de 2013 Deixe um comentário

apns-bandeiraEm virtude da ação truculenta, abuso de poderes e violação dos direitos humanos e prática de racismo por parte da Polícia Militar do Estado de Alagoas, ocorrida na tarde de ontem (11.08), aos nossos associados Benedito Jorge Silva Filho e sua esposa Franqueline Santos, a Direção Nacional da Associação dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) vem a público repudiar a ação desta polícia que segundo o governo do Estado de Alagoas afirma ser a segurança da sua população.

O casal foi covardemente algemado e colocado numa viatura policial, por defenderem amigos turistas que os acompanhavam após flagrarem um ato de espancamento à alguns jovens usuários de drogas por parte da PM em uma praça próximo a praia de Pajuçara. Os amigos do casal ao ficarem indignados resolveram filmar a cena, o que causou reação dos policiais que partiram para cima dos turistas obrigando a apagarem a gravação, Franqueline tentou argumentar que eles estavam errados, sendo empurrada por um dos policiais. Jorge que estava no carro, saiu para defender a esposa e outro policial ordenou que eles se afastassem imediatamente, como Jorge argumentou que estava defendendo e protegendo sua esposa, a ordem foi para algemar o casal por desacato a autoridade policial e colocá-los no camburão.

A polícia ordenou que o casal só fosse solto caso as imagens gravadas pelos turistas fossem apagadas. O casal preso eram os únicos negros do grupo.

Enquanto entidade do Movimento Negro Brasileiro conclamamos ao Excelentíssimo Governador Teotônio Vilela Filho e ao Comandante Geral da Polícia Militar que tome as providencias cabíveis imediatamente. Estaremos atentos ao desenrolar deste fato.

Senhor Governador, a sociedade brasileira tem demostrado que já não aguenta mais os abusos das autoridades e os discursos falaciosos, clamando por medidas definitivas que garantam os direitos e o fim do racismo institucional por nós combatido já por décadas. Admira-nos ainda esse tipo de ação policial advinda de um Estado que mereceu por parte do Governo Federal o titulo de Estado “Piloto do Plano Juventude Viva”.

Nuno Coelho
Coordenador Nacional dos APNs

DIREÇÃO NACIONAL REALIZA 10ª REUNIÃO DE COORDENAÇÃO

27 de julho de 2013 Deixe um comentário

Entre 27 e 28 de julho realizar-se-á na sede da FUNARTE na capital paulista a 10ª reunião ordinária dos membros da Direção Executiva Nacional dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil juntamente com os membros das oito Comissões Permanentes que formam a Coordenação Nacional dos APNs.
Na extensa pauta, os participantes vão fazer analise de conjuntura política das mobilizações de junho, assim como da política de igualdade racial executada no Brasil até agora. Esta que, subsidiará a entidade na elaboração de um documento analítico que será entregue posteriormente aos membros da entidade e aos delegados e participantes da III CONAPIR em novembro próximo.

A Direção Nacional da entidade ainda terá por tarefa, a preparação da plenária nacional que acontecerá em novembro em avaliação ao Congresso da entidade ocorrida em Goiânia em 2010. Outro tema que será tratado é a organização e mobilização da III Conferência de Promoção da Igualdade Racial que acontecerá de 5 a 7 de novembro em Brasília. “A entidade trabalha para levar a etapa final um número considerável de delegados, ao menos o dobro do que foi em 2010”, afirma Nuno Coelho coordenador nacional da entidade.

Os dirigentes ainda vão elaborar durante a reunião o calendário nacional de 2014 que deve ter como uma das ações centrais a realização do 2ª Encontro Nacional de Juventude APNs e a participação na Cúpula Mundial de Afrodescendentes que acontecerá em Madri na Espanha.

 

Fonte: Divulgação

CARTA MENSAL: JULHO/2013

18 de julho de 2013 Deixe um comentário

APNs-30anos

 

São Paulo, 01 de Julho de 2013

Malungos e Malungas,
Companheiros e Companheiras de Fé e Luta!

Com a proximidade da III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial (III CONAPIR) evento convocado pela Presidenta Dilma Rousseff, que acontecerá em Brasília entre 5 e 7 de novembro, as bases do Movimento Social Negro e as próprias organizações governamentais afeitas à Promoção da Igualdade Racial se mobilizam pelo País afora não só para montar as varias delegações mas para avaliar e refletir sobre a política de Ações Afirmativas em especial nestes dez anos de governo onde o ponto central tem buscado ser a Democracia e o Socialismo.

Não podemos negar os importantes avanços que o Brasil acumulou nos últimos oito anos, em diversos campos do desenvolvimento social, além de importantes instrumentos no combate ao racismo e na formulação de políticas como a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR); o Conselho Nacional de Promoção de Igualdade Racial (CNPIR) a realização das duas últimas Conferências Nacionais e os inúmeros conselhos e departamentos executivos nos Estados e Prefeituras.

O desafio imposto ao Governo brasileiro é dar conta da implementação dos Planos e Programas frutos das conferências, encontros, debates.

Nossa função enquanto entidade do movimento negro nacional é não só propor ações e políticas, mas acompanhar de forma critica e dialógica a execução das agendas.

O Brasil passa por um momento novo, após as mobilizações sociais dos últimos dias, o despertar das ruas, pautou os políticos e redefiniu as ações programáticas para que o país avance.
O tema central da III CONAPIR “Democracia e Desenvolvimento por um Brasil afirmativo, sem racismo”, deve significar para nós, ampliar as fronteiras da cidadania para além dos limites consagrados pelo privilégio, impostos por injustiças sociais e econômicas.

Malungos e Malungas,
Os Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) nasceu grande e segue forte por essas três décadas ajudando o conjunto da sociedade a pensar um novo Brasil. E assim vamos seguir por mais tempo.
Por conta dos 30 anos dos APNs ao longo deste ano, devemos sim celebrar nos vários espaços mas devemos também criar ambientes de avaliação e reconhecimento da nossa importância juntamente com o movimento negro no combate ao racismo e na construção das políticas públicas, contradizendo a visão de que é dividido, de que não produz resultados. O movimento negro não deve ter a marca de ineficiente, pois perseguir a radicalização da democracia é o principal veio para garantir a igualdade.

No axé e na esperança!

Nuno Coelho
Coordenador Nacional

Comissão organizadora realiza reunião de avaliação

15 de maio de 2013 Deixe um comentário

Na noite dessa terça-feira (14.05), na residência do malungo Allex Sander Porfírio, ocorreu  uma reunião de avaliação dos 30 anos dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) executado no período de 1º e 5 de maio, no Estado de Alagoas.

 

Foi um momento importante que discutiu as estratégias de ação durante a preparação do evento, dificuldades enfrentadas, atuação da equipe organizadora, além de definir os pontos positivos e negativos da infraestrutura.

 

Estiveram presentes integrantes do Comitê Estadual de organização, voluntários da equipe de apoio e a vereadora Fátima Santiago que também foi uma das patrocinadoras do evento. Já o coordenador geral da entidade, Nuno Coelho, participou através da internet em tempo real.

 

Confira algumas imagens do encontro:

 

 

 

 

 

 

Carta Mensal: Maio de 2013

12 de maio de 2013 Deixe um comentário

apns

AGENTES DE PASTORAL NEGROS

Conscientização, Organização, Fé e Luta

São Paulo, 10 de Maio de 2013

Companheiros(as) da Fé e da Luta,

Saudações fraternas!

Nossos corações ainda estão saudosos das comemorações alusivas aos 30 Anos de nossa entidade. Ser APNs é bom demais!

Certamente alguns ainda se recuperam da longa viagem, porém embalados pelas boas lembranças do que significou pisar o solo sagrado do Quilombo dos Palmares junto com o povo negro vibrante e cheio de expectativas do que viria pela frente, na madrugada serena da Serra da Barriga. Mais emocionante foi prestar homenagem aos nossos ancestrais e dar um grande abraço no símbolo maior da história de luta e resistência de nossos guerreiros da causa Palmarina. Nestes dias pudemos viver na prática a experiência do que deveria ser a educação africana e afro-brasileira para nossas crianças.

Um dos grandes objetivos desta estada em Alagoas foi marcar de forma significativa a nossa caminhada de Agentes de Pastoral Negros do Brasil. Mas também mexer com a emoção, com as lembranças, com os sonhos, com o intelecto e principalmente com a autoestima de cada um. A noite no teatro foi memorável e emocionante.

Meus queridos malungos,

O sentimento de pertença agora deve ser ainda maior, beber daquela fonte e inundar com toda aquela energia foi mais que um presente, foi um convite à reflexão. Será que estou no caminho certo? Será que minha militância valeu apena até aqui? Será que já completei minha jornada? Essa resposta só você poderá dar após suas próprias analises.

De nossa parte a luta continua, ainda este ano realizaremos dois momentos importantes e bem direcionados, o primeiro será com os APNs que trabalham com a educação mais diretamente, a Eles ofereceremos um Seminário Nacional sobre “Educação e Negritude: Avaliando a Prática da Lei 10.639 na sua Década de Vigência”.

O outro momento será direcionado as lideranças, Coordenação Ampliada e Coordenadores de Mocambos para uma Plenária Nacional “Goiânia + 3 – Avanços e Desafios no Plano Político dos APNs para o Decênio“. No momento oportuno e após a elaboração dos referidos projetos a nossa Secretaria Executiva dará mais detalhes sobre esses dois momentos.

O importante é estarmos embalados pelo momento e não perdermos o foco da nossa agenda.

Gostaria ainda de voltar a refletir com vocês sobre a III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial – (IIICONAPIR) prevista para acontecer de 5 a 7 de novembro do ano corrente, em Brasília, tendo como tema “Democracia e Desenvolvimento sem Racismo – por um Brasil Afirmativo”.

Os APNs de todo o Brasil deverão estar atentos às etapas preparatórias e empreender esforços para elegermos uma das maiores delegações para a etapa final. Assumir compromissos de contribuir com a construção das Conferências Municipais; Regionais e Estaduais. Vestir a camisa dos APNs e ir a campo para incidir na pactuação das políticas afirmativas em nossas bases, no dialogo com o Governo Municipal, Estadual e Federal e estar atento ao monitoramento das políticas públicas, só assim haveremos de ter democracia e desenvolvimento para a população negra no Brasil. A oportunidade esta dada, não podemos perder tempo com embates e nem provocações menores, mas mostrar o quanto somos participantes da construção de um novo Brasil.

Malungos e Malungas,

Nossa luta continua e as nossas homenagens ainda não acabaram, devemos muito a essa entidade e a tudo o que ela significa para nós. Os Estados que ainda não realizaram atividades alusivas aos 30 Anos procurem realizar alguma ação, isso ajuda a animar a nossa militância.

Nuno Coelho

Coordenador Nacional

 

Carta Mensal – Abril/2013

14 de abril de 2013 Deixe um comentário

Logo_APNs30 Anos_by_Helberth Oliveira

São Paulo, 13 de Abril de 2013

 

Malungos e Malungas,

Companheiros e Companheiras de Fé e Luta!

 

Nesta Carta Mensal, desejo continuar à refletir com vocês o significado do papel que os Agentes de Pastoral Negros do Brasil tiveram nessas três décadas no processo de conscientização e descoberta da negritude em diversos Estados, grupos, pessoas levando o negro a entrar no seu mundo real e assumir uma nova postura diante de si, da vida e da sociedade.

Esta mudança vai marcar a saída de uma posição de não aceitação do seu ser negro, para uma posição de gostar de ser negro e a valorizar os elementos próprios da negritude em especial a cultura, a vestimenta, a fé a partir da experiência e do encontro pessoal de cada um.

Este reconhecer-se negro devolve-lhe a identidade, algo tão difícil de ser recuperado para o negro. Num primeiro momento essa descoberta fica a nível pessoal, passando depois a assumir uma nova dimensão na sua vida: a comunitária, a da militância coletiva.  Dai para diante o retrocesso eu diria, é algo impossível. Ainda me recordo emocionado a minha chegada nos APNs, e ai já se vão nove anos. Depois de muitos conflitos, análises, reflexões, perdas e ganhos, ainda assim o vício do PERTENCIMENTO me dominou completamente e aqui estou para testemunhar que a minha valorização como pessoa, como cidadão, como militante apaixonado por essa causa e sobretudo, pela minha entidade, me faz chegar hoje ao comprometimento total com os Agentes de Pastoral Negros.

Outro ponto importante e que é uma marca da nossa caminhada de APNs é este assumir-se completamente que tem implicações na vivência da fé a partir desde dado, na comunidade negra se começa a perceber formas concretas e elementos da manifestação de Olorun (Deus) na vida do povo negro. O identificar-se como negro e negra ao resgatar sua dignidade converte-se no sentido de liberdade, isso favorece a descoberta da proposta de Olorun (Deus) para todos nós.

Essa conscientização da nossa negritude e a recuperação da nossa identidade e pertença aos APNs tem um momento muito forte, que é quando se retoma a história do nosso povo negro. A começar pelo tráfico de africanos para o Brasil, gravo na memória até hoje as tristes imagens da Ilha de Goré no Senegal de onde partiram os últimos navios negreiros para o país, enfim os horrores da escravidão até a situação de povo marginalizado hoje. Dentro dessa caminhada constatou-se no passado a necessidade de organizações de luta e contestação ao regime de opressão instaurado aos negros na América Latina, em especial no Brasil. Assim entre outras organizações surgimos também nós imbuídos do desejo da organização, fé e luta.

Companheiros e Companheiras,

Três décadas se passaram e aqui estamos nós, para rever a história, fazer memória, lembrar os que passaram, chorar os que se foram e deixaram suas marcas.

Em minhas andanças pelo Brasil, tenho encontrado nossos Griôs, alguns cansados ou ainda em forma de combater o bom combate; nossa juventude aguerrida e sonhadora; nossas mulheres aguerridas e capazes de agrupar, dinamizar, animar nossos Mocambos; nossos malungos na luta cotidiana para vencer os preconceitos e sonhar por um país mais justo e humano. Os APNs tem percorrido seu caminho sempre amparado pelo combate ao racismo e os preconceitos, a capacitação humana e social, a descoberta de novas lideranças, o despertar da negritude, a expressão cada vez mais ampla da inter-religiosidade.

Nosso projeto político surge dessa dinâmica própria do ser APNs e é nele que está pautada toda nossa ação para essa década. Embora estejamos na fase da celebração dos nossos 30 anos ao longo deste ano, não podemos deixar de seguir trilhando nossa jornada pelo empoderamento do povo negro. A III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial (IIICONAPIR), prevista para acontecer de 5 a 7 de novembro deste ano, em Brasília, tendo como tema “Democracia e Desenvolvimento sem Racismo: por um Brasil Afirmativo”. Os APNs de todo o Brasil deverão estar atentos às etapas preparatórias e empreender esforços para elegermos uma das maiores delegações na etapa final.

Nosso trem esta partindo rumo à Alagoas com parada final na estação central de União dos Palmares, a Serra é nosso destino final para renovar o nosso PERTENCIMENTO e oxigenar a nossa militância e descermos mais fortes e mais irmanados na luta cotidiana.

No axé e na esperança!

                       

Nuno Coelho

Coordenador Nacional

Bastidores – Articulação para os 30 anos

7 de abril de 2013 Deixe um comentário

No período de 3 a 6 de abril, o Coordenador Geral dos APNs, Nuno Coelho esteve junto com o Comitê Estadual de Organização/Alagoas dos 30 anos fazendo importantes reuniões de articulação. Dentre as autoridades políticas que foram visitadas ou participaram de reuniões, estiveram: Prefeito de Maceió Rui Palmeira; Deputado Estadual Judson Cabral; Arcebispo de Maceió, Dom Antônio Muniz Fernandes; Marcelo Sandes, Presidente do Instituto Zumbi dos Palmares (rede pública de radiodifusão em Alagoas); Graça Silva, Gerente de Diversidades da Secretaria Estadual de Educação e Esportes; Maria Silva, Representante Regional da Fundação Cultural Palmares; Jacineide Maia, Secretária Municipal de Turismo de União dos Palmares; Claudia Pessoa, Secretária Municipal de Turismo de Maceió; e as vereadoras de Maceió, malungas dos APNs, Fátima Santiago e Tereza Nelma.

Este slideshow necessita de JavaScript.