Arquivo

Posts Tagged ‘Pastoral da Negritude da IBP’

Anajô e Pastoral da Negritude realizam roda de conversa

16 de março de 2016 Deixe um comentário

12829176_1064969906877796_8285269269106961825_o

Filme Anel de Tucum

7 de junho de 2015 Deixe um comentário

Na última sexta-feira (05.06), os integrantes dos Agentes da Pastoral Negros do Brasil (APNs-AL) – Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô e a Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro – assistiram ao documentário Anel de Tucum. A atividade contou com o apoio do Centro de Educação Ambiental São Bartolomeu (Ceasb).

Dirigido por Conrado Berning em 1994, o filme faz a reflexão sobre a militância e justiça social. O anel de Tucum, é feito da semente de uma espécie de palmeira nativa da Região Amazônica; trata-se de um símbolo que representa o compromisso com as causas populares e a luta pelos direitos dos povos oprimidos.

O cine fórum integrou a programação do Encontro Estadual, que serviu de preparação para o Encontro Nacional que acontecerá em setembro no Rio de Janeiro, com o tema: “Tendências, Cenários e Desafios Futuros para os APNs do Brasil”.

Encontro Regional NE2 dos APNs

31 de maio de 2015 Deixe um comentário

encontro.regional.NE2

Registro fotográfico – Xirê de Malung@s

23 de maio de 2015 Deixe um comentário

No dia 21 de maio, na Igreja Batista do Pinheiro em Maceió, ocorreu o Xirê de Malung@s (Encontro de companheiros/as de luta) sobre a importância e articulação da Marcha Nacional de Mulheres Negras. A atividade foi uma realização do Centro de Cultura e Estudos Énticos Anajô/APNs, Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial em Alagoas (Cojira-AL/Sindjornal), Pastoral da Negritude e o grupo Flor de Manacá.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Xirê de Malung@s sobre a Marcha Nacional das Mulheres Negras

20 de maio de 2015 Deixe um comentário

xirê.convite

Registro fotográfico – 9º Tambor Falante

18 de maio de 2015 Deixe um comentário

A 9ª edião do Tambor Falante ocorreu no dia 16 de maio de 2015, e o tema discutido foi: “Racismo Institucional & Violência contra a população negra”. Agradecemos a contribuição e partilha de conhecimento dos facilitadores Carlos Martins e Leandro Rosa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

7º Tambor Falante – Você é o(a) nosso(a) convidado(a)!

21 de novembro de 2012 Deixe um comentário

Acontecerá nesse sábado (24.11) a 7ª edição do Tambor Falante – Ciclo de Debates com o tema: “As raízes africanas na História de Alagoas”, a partir das 14h, no auditório da Faculdade Raimundo Marinho localizada no bairro do Tabuleiro do Martins em Maceió.

O evento é uma iniciativa do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô/APNs, em parceria com a Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro, Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial em Alagoas (Cojira-AL) e o Curso de Serviço Social da instituição de ensino.

Busca reunir lideranças dos segmentos afros, educadores, acadêmicos e formadores de opinião em um mesmo ambiente para compartilhar conhecimento e discutir uma nova maneira de participação na continuidade da luta e organização do povo afro-brasileiro.

O projeto Tambor Falante existe há dois anos, tem ampliado a discussão sobre assuntos ligados às questões étnicorracias e sociais, além de estimular a integração do movimento negro alagoano, além de refletir sobre temas polêmicos do cotidiano.


Bastidores: Reunião da Coordenação Estadual dos 30 anos dos APNs (05.05.12)

7 de maio de 2012 Deixe um comentário

Por: Helciane Angélica

Durante todo o sábado (05.05), na casa do malungo Jorge Silva, ocorreu uma reunião estratégica da Coordenação Estadual da celebração dos 30 anos dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs) com integrantes do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô e a Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro.

Na ocasião, foi feito um repasse das principais atividades e resoluções na 15ª Assembleia Geral e Eletiva dos APNs no dias 27 a 30 de abril em Vitória (ES), e das principais articulações para a celebração dos 30 anos da entidade nacional em março de 2013, no Estado de Alagoas. Também foi discutida a possibilidade da Pastoral da Negritude da IBP ser uma das parceiras na vigília afro, inclusive, na cerimônia interreligiosa em homenagem aos guerreiros(as) quilombolas e líderes contemporâneos.

Os integrantes da Pastoral da Negritude da IBP demonstraram satisfação pelo convite em fortalecer a parceria. E ainda confirmaram o interesse em oficializar a filiação aos APNs, com a constituição de mais um mocambo em Alagoas, já que trata-se de uma entidade nacional do movimento negro macro-ecumênica e defensora das políticas de promoção da igualdade racial nos mais diversos setores.

Essa Pastoral da IBP foi criada no dia 15 de novembro de 2005, tem como missão promover a auto-estima dos afros-descendentes e o diálogo inter-religioso. É a única em Alagoas, vinculada a uma igreja evangélica. Ao longo da sua trajetória vem participando da Escola Dominical abordando a temática negra, nas atividades do Conselho Nacional de Negras e Negros Cristãos (CNNC) e nas ações do movimento negro alagoano.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tambor falante discute Racismo e Homofobia

6 de abril de 2011 Deixe um comentário

Jair Bolsonaro e seus preconceitos

Por: Helciane Angélica – com informações de agências nacionais
 

CONVITE - ABERTO AO PÚBLICO

Na última semana, as declarações do Deputado Federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) no quadro “O povo quer saber” do programa CQC na Band gerou muita revolta e debates nas reuniões do movimento negro, lista de emails e redes sociais. Ele é considerado o deputado federal mais polêmico do Brasil, além de ser considerado porta-voz da extrema direita militar e admirador de todos os generais que assumiram à Presidência no período da ditadura, incluindo, Médici, Figueiredo e Geisel.
Na entrevista foram realizadas várias perguntas, inclusive, uma feita pela cantora Preta Gil (filha do ex-ministro Gilberto) sobre a possibilidade de um homem branco se apaixonar por uma mulher negra. “Ô Preta, eu não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco e meus filhos foram muito bem educados. E não viveram em ambientes como lamentavelmente é o teu”, declarou Jair Bolsonaro. Também criticou o homossexualismo e o sistema de cotas raciais.
No último domingo (03.04) teve o protesto Fora Bolsanaro na Praça do Ciclista – Av. Paulista em São Paulo, com a participação de ativistas nos mais diversos setores sociais. E inúmeras notas públicas de repúdio estão sendo divulgadas pelo país afora, até a ministra Luiza Bairros, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), disse esperar que a Câmara dos Deputados haja com firmeza no caso do deputado e seja encaminhado para a Comissão de Ética devido a quebra de decoro.
Gostaríamos de lembrar que “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional” é crime previsto na Lei nº9.459 de 13 de maio de 1997, tem pena de reclusão de um a três anos e multa; caso o crime seja “cometido por intermédio dos meios de comunicação social ou publicação de qualquer natureza”, a pena pode chegar a cinco anos de reclusão e mais multa.
Não venha com essa de que é liberdade de expressão, entretenimento, que ele não entendeu direito as perguntas, etc – como pode um parlamentar que deveria dar o exemplo, propagar em rede nacional todo o seu ódio para mais da metade da população brasileira e isso ficar impune? RACISMO É CRIME, e infelizmente, tem muitos casos arquivados e outras pessoas como ele espalhadas por aí! “Olorum Kolofé Axé – Deus te abençoe e te dê força!”. Continuaremos na luta por respeito e igualdade!
Fonte: Coluna Axé/Tribuna Independente – nº144 (05.04.11)