Arquivo

Posts Tagged ‘UNICEF’

Programa Eu Quero Ver – Combate ao racismo

16 de maio de 2011 Deixe um comentário

O ativista Helcias Pereira foi entrevistado no Programa Eu Quero Ver CUT, uma produção independente que é exibido na TV COM (Canal 12 da NET TV). Ele é membro-Diretor do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô, Coordenador Nacional de Formação dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs).

Confira o vídeo sobre: o 13 de maio; combate ao racismo; sessão pública na Câmara Municipal de Maceió; e a Campanha Nacional do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) intitulado “Por uma infância sem racismo”.

http://www.youtube-nocookie.com/v/nbJ_xsN4NGU?fs=1&hl=pt_BR&rel=0

Anúncios

Sessão Pública debate sobre racismo na infância

12 de maio de 2011 Deixe um comentário

A atividade é uma parceria entre a Câmara Municipal de Maceió e a Assembleia Legislativa de Alagoas, que destacará a importância da Campanha do Unicef “Por uma infância sem racismo”

          

Nesta sexta-feira (13.05) a partir das 9h, terá no Plenário da Câmara Municipal de Maceió, uma sessão pública conjunta entre a Câmara e a Assembleia Legislativa de Alagoas, por intermédio das vereadoras Heloisa Helena (Psol) e Fátima Santiago (PP), em parceria com o Deputado Estadual Judson Cabral (PT). A ação busca dar visibilidade ao Programa Nacional do Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF) intitulada “Por uma infância sem racismo”.

O Coordenador do UNICEF, Salvador Soler – que atua nos estados de Alagoas, Pernambuco e Paraíba – confirmou presença na atividade para apresentar dados estatísticos sobre os impactos do racismo durante o processo de formação sócio-cultural dos indivíduos. Também participarão da atividade política integrantes dos mais diversos segmentos afros, gestores públicos, representantes das entidades parcerias e municípios com selo da instituição internacional.

Essa campanha busca sensibilizar a sociedade e os veículos de comunicação, além de estimular a criação e o fortalecimento de políticas públicas voltadas para as populações mais vulneráveis. No Estado de Alagoas foi lançada no dia 03 de dezembro de 2010, na Serra da Barriga em União dos Palmares, local de grande representatividade histórica, onde se desenvolveu o Quilombo dos Palmares e o respeito étnicorracial – negros, brancos e índios se uniram e lutaram em busca de liberdade e respeito.

A vereadora Fátima Santiago acredita que somente por meio da infância pode-se mudar essa ação nefasta que é o racismo. “A desconstrução do racismo deve ser fortalecida sempre! A partir da escola é onde temos que levar a proposta inversa e fazer a reconstrução da identidade negra, partindo do princípio do grande líder Nelson Mandela, onde diz que a pessoa nasce com a mente livre e tudo se aprende ao longo da vida, inclusive, o preconceito. Então, se pode ser aprendido por ser feito uma forma de garantir a fraternidade plena”, ressaltou.

Em 2011, completa-se 123 anos da Abolição da Escravatura, que deixou efeitos danosos até os dias atuais. Por isso, que o Movimento Negro considera a data como o Dia Nacional de Combate ao Racismo para estimular a reflexão sobre as práticas preconceituosas que ferem a integridade humana e denunciar casos de racismo nas mais diversas esferas sociais. De acordo com dados estatísticos do IBGE e do PNAD, no Brasil vivem 31 milhões de crianças negras e 150 mil crianças indígenas, onde cerca de 26 milhões das crianças brasileiras estão em condições de pobreza, dentre elas, 17 milhões são negras.

 

SERVIÇO

Sessão Pública – “Por uma Infância sem racismo”

Propositores: Vereadoras Fátima Santiago e Heloisa Helena, em parceria com o Deputado Estadual Judson Cabral

Dia/ Hora: 13 de maio de 2011 (sexta-feira) a partir das 9h

Local: Câmara Municipal de Maceió – Praça Marechal Deodoro da Fonseca, 376, Centro.

Contatos: (82) 8831.3231 / 9977.2873

Fonte: www.fatimasantiago.com

Convite: Sessão Pública (13 de maio)

11 de maio de 2011 Deixe um comentário

Reunião com o UNICEF em Alagoas

6 de maio de 2011 Deixe um comentário

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) convocou todas as instituições parceiras no Estado de Alagoas do Programa “Por uma infância sem racismo” para uma reunião nesta sexta-feira (06.05) às 9h, no auditório do Instituto de Terras e Reforma Agrária em Alagoas (Iteral) localizado na Avenida da Paz, nº 1200, Centro, Maceió-Alagoas. Dentre as pautas estão: planejamento estratégico das ações para o segundo semestre e a participação na sessão pública com esta temática no dia 13 de maio, às 9h, na Câmara Municipal de Maceió. Representantes do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô, mocambo dos Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs), estarão presentes para colaborar.

Vídeo da campanha: “Por uma infância sem racismo”

12 de dezembro de 2010 Deixe um comentário

Crianças participam da Campanha Unicef contra o racismo

5 de dezembro de 2010 Deixe um comentário


O lançamento da Campanha “Por uma infância sem racismo” em Alagoas aconteceu na Serra da Barriga, berço da liberdade e palco da resistência negra

Texto: Helciane Angélica / Fotos: Emanuelle Vanderlei – integrantes da COJIRA/AL

Crianças de todas as cores, idades, etnias, cheias de sonhos e oriundas de várias partes de Alagoas estiveram nesta sexta-feira (03.12) na Serra da Barriga em União dos Palmares, local onde se formou o maior e mais importante Quilombo já registrado e que teve uma população multi-étnica em busca de liberdade e justiça social. Na ocasião foi lançada a Campanha “Por uma infância sem racismo”, uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria com várias instituições.
A solenidade iniciou com a leitura das dez maneiras de contribuir para uma infância sem racismo, informações apresentadas por alunos de escolas públicas. Em seguida, ocorreram os pronunciamentos das autoridades: o Prefeito de União dos Palmares, Areski Freitas; Nadja Lessa, Secretaria Adjunta da Mulher, Cidadania e Direitos Humanos; Claudio Leite, o Mestre Claudio, do Escritório Estadual da Fundação Cultural Palmares/Ministério da Cultura; Dr. Claudio Soriano, Presidente do Conselho Estadual de Direito da Criança e Adolescente; o professor Carlinhos da Associação Muzenza Capoeira, representando todas as entidades da sociedade civil que aderiram à Campanha; e por último, Salvador Soler, coordenador do UNICEF nos estados de Alagoas, Pernambuco e Paraíba.
O coordenador Salvador Soler apresentou os principais objetivos e metas da campanha nacional que a princípio terá uma duração de doze meses, com o intuito de sensibilizar a sociedade e os veículos de comunicação sobre os efeitos do racismo na infância. Também, foram exibidas peças de divulgação como o encarte informativo, blog e vídeos que contou com a interpretação de Lázaro Ramos – ator, ativista e Embaixador do Unicef.

A estudante Daniele Ferreira de onze anos é uma das crianças que enfrenta diariamente o preconceito de coleguinhas da escola que implicam com o seu cabelo afro e fazem constantemente piadas ofensivas. Mas a menina, que foi escolhida para ser a mestre de cerimônia mirim, não se deixa abater, afirmou que ignora porque tem orgulho de ser negra, é feliz e se considera linda.

O UNICEF está comemorando 60 anos de atuação e sempre monitora os indicadores sociais relacionadas à saúde, educação, moradia, segurança e em outros segmentos; além de buscar o empoderamento das crianças para que conheçam seus direitos e sejam protagonistas das ações. De acordo com dados estatísticos do IBGE e do PNAD, no Brasil vivem 31 milhões de crianças negras e 150 mil crianças indígenas, onde cerca de 26 milhões das crianças brasileiras vivem em condições de pobreza e 17 milhões são negras.
Simbologia
A escolha da Serra da Barriga para realizar o lançamento da Campanha em Alagoas não foi uma decisão unilateral, e sim, definida em consenso pelas mais de 30 instituições públicas e privadas parceiras. “Quando eu cheguei aqui, me senti entrando em um local sagrado. E estou muito feliz pela simbologia de liberdade e resistência que esse lugar tem, onde pessoas que mesmo não sendo reconhecidas lutaram por liberdade e respeito. Então, estar aqui, nos anima a continuar lutando por igualdade na infância e na expectativa que todas as parcerias conquistadas permaneçam contribuindo para a promoção do respeito étnico”, declarou Soler.
Apresentações

O dia de mobilização também contou com apresentações artísticas, onde as crianças alagoanas exibiram seus talentos na arte de representar, dançaram, cantaram e batucaram. Teve o grupo Malungos do Ilê, Afoxé Odô Iyá, Banda Afro Nação Dandara, o Grupo Ará Fun Fun Omagerê que é vinculado ao Grupo União Espírita Santa Bárbara (Guesb), aulão de capoeira e a presença especial do Coral Canarinhos Aracaju de Sergipe que existe há onze anos sob a regência do Maestro Carlos Magno do Espírito Santo.
Estiveram presentes aproximadamente 230 crianças no total, oriundas de escolas públicas de vários municípios; de três comunidades quilombolas Muquém, Filús e Jusarinha; indígenas da Tribo Xucuru Cariri; além de representações de comunidades em áreas de vulnerabilidade social a exemplo da Vila Emater II, Bebedouro, Benedito Bentes, Conjunto Village Campestre e Ponta da Terra.

Unicef lança campanha nacional contra o racismo na infância em Alagoas

4 de dezembro de 2010 Deixe um comentário

Campanha “Por uma infância sem racismo” tem o objetivo de sensibilizar a sociedade sobre os impactos do racismo na infância em todo o Brasil

 

Por:  Josival Júnior – jornalista

 

Símbolo da resistência negra pela liberdade, a Serra da Barriga, em União dos Palmares, serviu de palco, nesta sexta-feira (3), para o lançamento nacional da campanha “Por uma infância sem racismo”, promovida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

A solenidade, realizada no Parque Memorial Quilombo dos Palmares, contou com a presença de centenas de crianças de vários municípios alagoanos e procedentes de comunidades quilombolas, indígenas e que residem em áreas de vulnerabilidade social.

A secretária adjunta de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, Nadja Lessa, representou o governador Teotonio Vilela Filho no evento. Já a superintendente de Direitos Humanos, Edna Tizeu, representou a secretária de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos de Alagoas, Marluce Caldas, que cumpre agenda em Brasília.

“A escola é o primeiro ambiente onde a criança tem contato com diversas culturas e se depara também com as primeiras tensões sociais. É a partir deste momento que pode ter início, ou não, a discriminação. Nesta fase de iniciação escolar, a criança está se desenvolvendo emocionalmente e socialmente, além de estar aberta a ideias. Essa campanha do Unicef mostra que o racismo existe, e é uma forma de combatê-lo. Todos – independente de cor, raça ou religião – têm direito de exercer a cidadania. O governador Teotonio Vilela prioriza a criança e o adolescente e equipou os conselhos tutelares fortalecendo a rede no combate a discriminação”, declarou a secretária adjunta, Nadja Lessa.

O coordenador do Unicef no Escritório Zonal de Recife, Salvador Soler Lostao, foi o responsável pelo lançamento da campanha na Serra da Barriga. Na solenidade de abertura, vídeos institucionais foram exibidos ao público. “A Serra da Barriga foi escolhida por ter sido o primeiro lugar símbolo da resistência da luta dos negros no Brasil. Vamos esperar que as parceiras firmadas para a execução da campanha possam ser multiplicadas e gerar frutos”, frisou o representante da Unicef.

O prefeito de União dos Palmares, Areski Freitas, enalteceu a ação desenvolvida pelo Unicef no combate ao racismo. “Na verdade, era o único trabalho que estava faltando ser desenvolvido pelo Unicef. Como gestor, fico feliz por esta campanha ter sido iniciada aqui na Serra da Barriga”, destacou.

A campanha foi criada com o objetivo de sensibilizar a sociedade sobre os impactos do racismo na infância em todo o Brasil, além de articular e promover atividades sociais, culturais e de cidadania no combate à discriminação racial contra crianças e adolescentes.

“A campanha reafirma a luta do movimento negro que é muito antiga. O Unicef alavanca a conscientização ao trabalhar a problemática do racismo na infância. Isso dá um fôlego maior também aos movimentos”, frisou Helsias Pereira, representante da ONG Anajô.

Após o encerramento da solenidade oficial, as crianças assistiram a algumas apresentações culturais, a exemplo do coral infantil Canarinhos de Aracaju, do maestro Carlos Magno, além de terem tido a oportunidade de ouvir contos sobre a história do herói nacional Zumbi e do Quilombo dos Palmares.

 

Fonte:  http://www.agenciaalagoas.al.gov.br/noticias.kmf?cod=11051394